Ultimas

medicina

biologia

Acompanhe:

Dengue, Zika, Vírus e Chikungunya - Saiba Diferenciar os Sintomas

Além de serem igualmente temidas pela população, a dengue, zika e chikungunya têm outro denominador comum: seus sintomas. 

Dor de cabeça, enjoo, febre e dores espalhadas pelo corpo são apenas algumas das semelhanças dessas doenças, que também podem ser confundidas com uma simples gripe. Além de um atendimento médico especializado, é preciso bastante atenção para identificar possíveis sinais desse indesejado trio de doenças.

A dengue comum tem como primeira manifestação a febre alta (39° a 40°C), de início abrupto, que geralmente dura de 2 a 7 dias. Ela vem acompanhada de dores intensas atrás dos olhos e dores de cabeça, cansaço, dores fortes nos músculos, falta de apetite, abatimento, fraqueza e coceira na pele. Perda de peso, náuseas e vômitos também são comuns. A desidratação é grave em todos os casos e a ingestão de líquido é primordial para a melhora.


A doença é caracterizada por derrubar o número de plaquetas do sangue, o que pode ser verificado após um hemograma. Plaquetas são as responsáveis por evitar sangramentos (hemorragias), e é justamente por isso que a versão mais radical e perigosa, a dengue hemorrágica, pode matar. Ela provoca sangramentos na boca, gengivas e nariz, dificuldade de respiração, fortes dores abdominais, confusão mental, boca seca e sede constante. Não hesite em procurar tratamento especializado quando sentir alguns desses sintomas.
Conheça os sintomas da dengue
(Conheça os sintomas da dengue)
Muito temido pelas grávidas, o zika vírus tem como sintomas mais característicos dor de cabeça moderada, coceira intensa pelo corpo, surgimento de manchas vermelhas na pele, dor nos ossos e nos músculos e crescimento dos gânglios. Há a possibilidade de ainda vir acompanhada de uma conjuntivite. Outros sintomas menos frequentes são inchaço no corpo, dor de garganta, tosse e vômitos. No geral, a doença é branda e os sintomas desaparecem espontaneamente em 3 a 7 dias. No entanto, a dor nas articulações pode persistir por aproximadamente um mês. Formas graves e atípicas são raras, mas quando ocorrem podem, excepcionalmente, matar.

Além da transmissão por meio do Aedes aegypti, o zika também pode ser passado de mãe para filho durante a gestação – podendo causar a microcefalia –, por transfusão sanguínea ou até via sexual.
Conheça os sintomas da zika
(Conheça os sintomas da zika)
Já a chikungunya provoca sintomas como febre alta de início rápido, dores intensas nas articulações dos pés e mãos, além de dedos, tornozelos e pulsos. Pode ocorrer ainda dor de cabeça, dores nos músculos e manchas vermelhas na pele.

Não é possível ter chikungunya mais de uma vez. Depois de infectada, a pessoa fica imune pelo resto da vida. Os sintomas aparecem entre 2 e 12 dias após a picada do mosquito. A doença é caracterizada por abalar o infectado por muito tempo. Há casos de pessoas que foram contaminadas no início do surto e até hoje continuam com dores nas articulações.
Conheça os sintomas da chikungunya
(Conheça os sintomas da chikungunya)
Ao apresentar alguns desses sintomas, procure logo um serviço de saúde e não tome medicamentos por conta própria, como recomenda o Ministério da Saúde. Dor abdominal intensa e vômitos persistentes são sinais de alarme. Fique atento!
Fonte: extra.globo.com

7 Alimentos Que previnem o AVC e Fazem Bem Para o Coração!

Através da alimentação balanceada, é possível manter o organismo longe de doenças, como o AVC! Confira uma lista com 7 alimentos que protegem seu coração!

O acidente vascular cerebral (AVC) ocorre quando há um entupimento ou o rompimento dos vasos que levam sangue ao cérebro, provocando a paralisia da área cerebral que ficou sem circulação sanguínea adequada. Uma vez que diabetes, colesterol elevado, obesidade e hipertensão aumentam as chances de AVC, todos os cuidados para controlar essas doenças servem de prevenção, e com isso a alimentação ganha destaque.

Seguir uma dieta saudável, que priorize o consumo de alimentos integrais, frutas, verduras e legumes, moderar no consumo de sódio, alimentos ricos em colesterol e gorduras saturadas, além de controlar o consumo de açúcar são alguns dos hábitos que devem fazer parte da rotina. Existem alimentos, por exemplo, com alto teor de ômega 3 e 6 e vitamina E, que funcionam como antioxidantes naturais e auxiliam na prevenção de doença microvascular, além de outros que aumentam o bom colesterol, ajudando a prevenir o AVC. Confiras os principais!

1. Salmão e atum: 

Consumir peixes ricos em ômega 3 duas vezes por semana diminui os riscos de ataque cardíaco, graças ao aumento do colesterol bom (HDL) no sangue e à queda nos níveis de triglicérides.

2.Nozes: 

São fontes de magnésio, mineral que ajuda no controle da pressão arterial, e ricas em gorduras insaturadas, que melhoram o perfil de colesterol no organismo. Elas podem ser consumidas puras durante os lanches e a recomendação é de uma porção de 30g ao dia.

3.Tomate:
É fonte de licopeno, um antioxidante que auxilia no combate aos radicais livres e que pode ajudar na prevenção de AVC.

4. Cereais Integrais:


São alimentos ricos em fibras, que auxiliam no controle das taxas de colesterol e glicose. Os alimentos integrais devem aparecer em todas as refeições do dia, por isso adicione ao iogurte ou vitamina a granola, prepare um mingau com aveia e substitua o arroz branco e o pão comum pelas versões integrais nas principais refeições e lanches. Mas não se esqueça de regular o consumo de água para ajudar na digestão.

5. Cacau: 

Os flavonoides presentes no cacau ajudam os vasos sanguíneos a funcionarem melhor, o que reduz a pressão sobre o coração. É fonte de catequina e epicatequina, que auxiliam na redução da agregação plaquetária e no controle dos níveis de colesterol no sangue. O chocolate amargo pode ser consumido na porção de 30g.

6. Açafrão ou cúrcuma:


O tempero possui ação anti-inflamatória e ajuda a controlar problemas como a aterosclerose – caracterizada pelo depósito de gordura, cálcio e outros elementos na parede das artérias, reduzindo seu calibre e trazendo um déficit sanguíneo aos tecidos irrigados por elas. Deve ser adicionado no período final de cozimento dos alimentos em pequena quantidade.

7. Azeite de oliva extravirgem: 

Fonte de ômega 9 – uma gordura insaturada que auxilia no aumento das taxas de HDL (colesterol bom) – que protege a saúde cardiovascular. O azeite deve ser usado a frio para temperar saladas e recomenda-se de 1 a 2 colheres (sopa) ao dia.

Equilíbrio

Procure evitar alimentos altamente processados por conta do excesso de sódio. É importante manter o equilíbrio entre sódio e potássio, pois a dupla gera o que nós chamamos de equilíbrio hídrico do corpo, sendo o potássio um bom diurético e o sódio um bom retentor de líquidos. São fontes de potássio: salmão e mariscos, abacate, espinafre cozido, batata assada, banana, feijão-preto, tomate e mamão papaia.
Fonte: altoastral.com.br

10 Passos Para Você Recuperar Sua Autoestima

A autoaceitação é um processo pelo qual quem tem uma autoestima baixa deve passar e há alguns passos para recuperá-la.

Vivemos na era do photoshop, do culto aos padrões de beleza (Hã? Como assim padronizar a beleza?), e ver modelos em revistas ou artistas na tv costumam deixar, pessoas comuns, como nós, “reles mortais” com a sensação de sermos a última bolacha do pacote, só que não aquela disputada, mas sim a bolacha que virou farelo e, geralmente, é jogada fora com o pacote ou espalhada pelo chão por uma criança pequena ou um desavisado que pensou que o pacote já estava vazio e o acabou virando.

Mas acontece que as “deusas” que vemos na tv e nas revistas, longe dos holofotes e antes do photoshop, também são simples mortais como nós, com suas “imperfeições”, umas com celulites e estrias, outras com o corpo flácido, há aquelas com um nariz um pouquinho maior, linhas de expressão, dentes desalinhados e, ainda assim, são desejadas, bem-sucedidas e lindas, porque quem inventou que precisa ser perfeito para ser bonito, não entende nada de beleza, e vamos combinar que, antes de mais nada, perfeição é um desejo utópico, portanto, buscar por ela o tempo todo a ponto de não se aceitar é estar fadado a ser uma pessoa eternamente frustrada.

1 – Deixar de se comparar com os outros


Comparar-se com outra pessoa é o mesmo que tentar descobrir se um copo é mais útil que um prato. Somos diferentes, com realidades e histórias de vida distintas. Cada um desempenha um papel importante no universo. Fomos criados pelo Pai e somos amados por ele da mesma forma, embora cada um esteja em um estágio diferente de evolução. Não precisa querer ter o corpo, o cabelo, o emprego ou o relacionamento de outra pessoa, porque nada disso é perfeito para ela, você só vê o palco da vida dela, desconhece os bastidores, as suas dores. Cultive seus sonhos, busque uma vida inteiramente sua, sem desejar o que é do outro, encontre seu caminho e descubra o quão fascinante é ter uma vida única, exclusiva e incomparável. Cheia de dores, mas transbordando intensidade. Você é especial do jeitinho que você é. Basta parar de olhar para o outro achando que tudo o que ele faz e tem é maravilhoso e que tudo que acontece com você é injusto. Acontece que você só vê a superficialidade da vida do outro, enquanto está mergulhado na densidade da sua vida, portanto valorize-a e faça dela o seu maior patrimônio.

2 - Abandone o vitimismo

Não há vida fácil para ninguém. Mesmo os ricos, viajados e cobiçados passam por problemas inimagináveis. Pare de achar que sua vida foi contemplada com todos os problemas do mundo, enquanto o outro alça voos em céu de brigadeiro, pois nada disso é verdade. Você pode fazer muita coisa para viver a vida que deseja, a primeira delas é parar de reclamar e tomar medidas que o aproximem da realização dos seus sonhos. Vai ser difícil? Com certeza, mas é a sua forma de ver e agir que vai tirá-lo do limbo da murmuração e trazer mais sucesso e alegria para você. Vire a chave e tome atitudes, em vez de destilar pessimismo por aí.
  
3 – Autoconhecimento

Conhecer-se é primordial no processo de recuperação da autoestima, por dois motivos principais: o primeiro é que, só se conhecendo bem, você  vai descobrir suas fraquezas e trabalhá-las. Por exemplo, se um jogador de futebol se reconhece como um mau batedor de pênalti, treinar intensamente, vai transformá-lo em um “franco-atirador”. Só conhecendo nossas limitações é que teremos chances de alargar nossas fronteiras e ir além. O segundo motivo é que o autoconhecimento nos proporciona reconhecer nossas qualidades.

4 – Valorizar os pontos fortes

Todos, sem exceção, temos pontos fortes, qualidades, físicas e de personalidade, que devem ser valorizadas. Potencialize tudo o que há de bom e especial em você. Olhe com mais carinho para as suas qualidades e perceberá que é uma pessoa digna de amor, de sucesso e felicidade.

5 – Manter o bom humor

Tente sempre olhar o lado bom da vida, das circunstâncias. Sorria! Nem sempre você vai sorrir porque está tudo bem, mas sim para ficar tudo bem.

6 – Cultivar amizades verdadeiras

Tenha sempre ao seu lado bons amigos. Pessoas com quem pode ser você mesmo, sem reservas. Pessoas que o amam do jeitinho que você é, mostram para você que ninguém precisa ser perfeito para ser amado.

7 – Encontrar suas distorções cognitivas e trabalhá-las


Distorções cognitivas mostram uma realidade negativa em relação a você, aos outros e à vida. Uma realidade distorcida, que faz você pensar que tudo com você é pior, mais difícil, quando na verdade é sua forma de pensar e ver a vida é que o está inserindo em uma realidade cheia de negativismo. É uma maneira errada de interpretar os acontecimentos e processar informações.

8 – Pedir ajuda 

Reconhecer que, muitas vezes, para resolver um problema, a gente precisa de ajuda. Não hesite em orar, conversar com uma pessoa de confiança ou procurar um profissional.

9 – Presentear-se

A gente costuma presentear a quem ama, então cultive seu amor-próprio dando a si um presente. Pode ser um objeto, um novo corte de cabelo, uma ida ao cinema, um passeio ao ar livre. Faça algo por você, algo prazeroso, que o faça feliz, que seja um presente, de fato.

10 – Não tente agradar a todos

Um dos maiores erros que cometemos é carregar o peso de ser unanimidade, de agradar a todos e fazer todo mundo feliz. Não, essa não é sua responsabilidade. Seja amável, gentil, generoso, faça sua parte, mas deixe que cada um tenha sua própria percepção de você. Você nunca vai conseguir fazer com que todos que lhe conhecem gostem de você e está tudo bem por isso. Só se preocupe com sua consciência, o amor alheio é consequência e um dia acaba chegando.
Fonte: osegredo.com.br

5 Causas Comuns de Barriga Inchada

Quando a causa da barriga inchada for causada por alguma doença, outros sintomas devem estar associados. 

Se surgir sangramento anal, aparecimento de hemorroidas ou outros sintomas, procure imediatamente um médico gastroenterologista para que ele avalie e indique o melhor tratamento.

Para combater o inchaço do corpo, de maneira geral, não só da barriga, pode-se tomar um chá diurético e evitar ao máximo o consumo de sal, dando preferência a uma alimentação mais saudável, temperada com ervas finas. Alguns exemplos de diuréticos naturais são o chá de gengibre com canela e o consumo de alimentos como salsinha, abóbora, pepino, melancia e cerejas.

Assista o vídeo da nutricionista Tatiana Zanin para conhecer as causas da má digestão e como solucionar este problema:


1. Gases

São as causas mais comuns e estão ligadas ao excesso de gases que pode ocorrer devido a situações como alimentação rica em gorduras, frituras e doces. O consumo de alimentos muito condimentados, com temperos em excesso também são algumas das causas frequentes da barriga inchada, pois eles também provocam muitos gases intestinais, que tendem a dilatar a região abdominal inferior.

Como solucionar: Comer devagar, não engolir ar ao comer, tomar chá de erva-doce é uma grande ajuda porque possui propriedades que acalmam a produção de gases, aliviando os sintomas rapidamente.

2. Menstruação

É muito comum as mulheres se queixarem de ter a barriga inchada durante a menstruação. Isso ocorre devido ao acúmulo de líquidos na zona abdominal nesta fase. O inchaço tende a desaparecer naturalmente com o fim da menstruação.

Como solucionar: Para diminuir a barriga inchada durante a menstruação, o que se pode fazer é tomar um chá diurético, como o chá verde ou comer algumas fatias de melão, por exemplo.


3. Gravidez
Quando a barriga começa a ficar mais inchada do umbigo para baixo e a menstruação está atrasada alguns dias, isto pode ser um sinal de gravidez. É normal que a barriga comece a ficar mais proeminente abaixo do umbigo no 1º trimestre de gravidez e, com o passar do tempo, ela vai crescendo com uma forma mais uniforme até que chegue próxima aos seios.

Durante a gravidez, as mulheres tendem a acumular muitos líquidos, ficando com um aspecto todo inchado, principalmente nos tornozelos, mãos e nariz. Quanto a isto, o que se pode fazer é diminuir o consumo de sal e de sódio e beber bastante água. Não é recomendado tomar nenhum chá sem o conhecimento do médico, pois muitos podem provocar o parto prematuro.

4. Prisão de ventre

A prisão de ventre pode estar relacionada ao baixo consumo de fibras, pouca atividade física e pouca ingestão de água, podendo afetar pessoas de todas as idades, embora seja mais comum em pessoas sedentárias e nos acamados.

Como solucionar: Consumir alimentos ricos em fibras, pois eles favorecem a formação do bolo fecal, diminuindo a prisão de ventre e os gases associados a ela. Bons exemplos são aveia, muesli, farelo de trigo, alimentos integrais, frutas e verduras cruas ou cozidas em água e sal.

Além deste remédio caseiro, pode-se ainda tomar diariamente um copo de iogurte natural batido com 1/2 mamão papaia e adoçado com mel. Todos estes exemplos não tem contraindicações e podem ser utilizados por indivíduos de todas as idades, inclusive bebês.

5. Excesso de peso

Por vezes, a barriga não está somente inchada havendo acumulo de gordura nesta região e neste caso é preciso queimar esta gordura para solucionar este problema.

Como solucionar: Fazer exercícios diariamente e comer menos alimentos ricos em gordura e em açúcar.
Fonte: tuasaude.com

Má Circulação - 7 Sinais de Advertência Que Costumamos Ignorar

Muitas vezes podemos relacionar o cansaço extremo com um excesso de atividade ou uma queda na imunidade, mas também pode ser um indicativo de uma má circulação.

A má circulação afeta grande parte da população. Este problema é tão comum que cerca de 80% das pessoas com mais de 60 anos sofrem com ele.

Imaginemos por um momento nosso corpo como uma complexa, mas perfeita rede de ruas e avenidas, formada por veias e artérias. Nelas o movimento é incessante.

Através delas devem ser transportados e distribuídos mais de 5 litros de sangue por todo o organismo. Como se fosse pouco, junto ao sangue viajam os nutrientes, os hormônios e todos os componentes que garantem “a vida” e, com isso, o bom funcionamento de nossos órgãos.

É necessário, portanto, mudarmos alguns esquemas. A má circulação não é um problema associado unicamente à terceira idade. 

Todos nós, sejamos jovens ou não, devemos criar medidas para combater este problema que, mesmo que silencioso, pode mostrar alguns sintomas e é implacável. Porque uma circulação sanguínea ineficiente causa infartos, coágulos, varizes, AVC...

Devemos melhorar nossos hábitos de vida e, principalmente, conhecer seus principais sintomas. A seguir, oferecemos 7 características que devemos saber sobre a má circulação.

1. Manchas na pele, sintomas de uma má circulação

Os médicos falam dos sintomas visíveis e dos sintomas silenciosos ou quase imperceptíveis. As manchas, as mudanças de cor na pele ou mesmo uma epiderme mais seca são um reflexo de que nosso sangue não está fluindo de forma adequada. 

Um dos primeiros sintomas associados à má circulação são as manchas vermelhas ou arroxeadas que aparecem nos pés ou na parte baixa das pernas. Primeiro são pequenas irregularidades de tom violeta que, pouco a pouco, podem se transformar em úlceras.

2. Inchaço nos pés

Pensemos que, quando existe um déficit na circulação sanguínea, nossas extremidades são as últimas a receber a quantidade de sangue rica em oxigênio e nutrientes.
  • Ao não chegar sangue na mesma quantidade, nosso organismo tenta reduzir a descompensação mediante o acúmulo de líquidos. Isso recebe o nome de edema.
  • Esta falta de sangue enriquecido provoca, por outro lado, cianose. Veremos que nossos pés, além de adquirirem um tom arroxeado, incham de forma regular. 
Por sua vez, os dedos terão um aspecto ligeiramente machucado, como se tivéssemos tomado uma pancada.

3. Queda de cabelo e unhas fracas

A queda de cabelo e as unhas fracas podem ser sintomas de uma má alimentação ou mesmo estresse. Porém, e esta informação é algo que muitos não conhecem, também podem significar outra coisa: que não estamos recebendo a quantidade adequada de nutrientes que a circulação sanguínea nos proporciona.
  • A má circulação traz como resultado um cabelo seco e fraco que, por sua vez, começa a cair.
  • Podemos notar inclusive uma certa “queimação” nas unhas. Às vezes, basta tocar algo para ver como se quebram rapidamente.

4. Digestão mais lenta

Uma digestão lenta, pesada, onde aparecem os gases, a acidez e até mesmo a prisão de ventre, pode ser também um sintoma da má circulação sanguínea.

5. Um resfriado atrás do outro, infecções e vírus

Este dado sem dúvidas é curioso e devemos tê-lo em mente: um sistema imunológico mais fraco e com defesas mais baixas se associa a uma circulação sanguínea inadequada ou de má qualidade.
  • Quando o fluxo sanguíneo é mais lento, nosso organismo deixa de detectar e de combater patógenos com a eficácia de antes.
  • Também notaremos a facilidade na hora de contrair doenças muito mais rápido que os demais.
  • Estes sintomas se propagam pois nosso corpo trabalha com anticorpos mais “lentos”, e com uma capacidade de resposta ineficaz na hora de nos proteger.

6. Mãos e pés frios

Este sintoma é realmente comum. Quando nosso sangue flui a uma velocidade adequada, nossa temperatura corporal se mantém em um estado ótimo.
  • No entanto, se a circulação é lenta, a temperatura interna é afetada e sofremos variações.
  • Uma vez mais, as partes de nosso corpo que mais iremos notar são, sem dúvidas, as mãos e os pés. Estes ficarão mais frios.
No entanto, antes de chegar a esta conclusão consulte um médico. Muitas vezes os pés e as mãos frios são causados pelo hipotireoidismo, a síndrome de Raynaud ou mesmo uma anemia.

7. Esgotamento constante

Quando o fluxo sanguíneo apresenta lentidão, os problemas aparecem. Um de tantos e que, sem dúvidas, perceberemos de imediato, é o cansaço.

Sabemos que pode ser devido ao excesso de trabalho, a uma época de estresse ou até mesmo a algum tipo de doença. No entanto, uma má circulação se associa a um fornecimento menor de combustível que chega aos músculos.

Com menos oxigênio e nutrientes alimentando os músculos, nosso corpo se sentirá muito cansado. Logo depois de começarmos a trabalhar, de subir escadas ou de fazer algum exercício suave, aparecerá a dor, a fadiga e o mal-estar.

Se este é o seu caso, não tenha dúvidas: consulte um médico para que este lhe indique os tratamentos a serem seguidos. Este inimigo silencioso acomete a cada ano milhões de pessoas, e evitá-lo está em nossas mãos. Comece hoje a cuidar de si mesmo!
Fonte: melhorcomsaude.com.br

saúde

curiosidades

psicologia

 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!