Ultimas

medicina

biologia

Acompanhe:

Balanite - Inchaço na Glande do Pênis

A balanite é a inflamação da “cabeça” do pênis (glande). Quando essa inflamação se estende à pele que recobre a glande (prepúcio), denomina-se balanopostite. 

Pode ocorrer em qualquer faixa etária. Há várias causas como candidíase, infecções bacterianas, doenças sexualmente transmissíveis, irritação da pele e outras doenças menos comuns. O tratamento costuma ser bastante eficaz.

O que é a balanite?

Balanite é o nome que se dá à inflamação da glande (a cabeça do pênis). Frequentemente, o prepúcio também se encontra inflamado. É uma doença comum e pode ocorrer em qualquer faixa etária, mas é mais frequente em garotos com menos de quatro anos de idade e em homens que não foram circuncisados. Cerca de um a cada 25 garotos e um a cada 30 homens não circuncisados apresentam balanopostite em algum momento de suas vidas. É bastante incomum em homens já circuncidados.

Quais são os sintomas da balanite?

Os sintomas mais comuns incluem vermelhidão, irritação, coceira e dor na glande, que podem variar desde uma pequena mancha vermelha confinada a uma parte da glande, até a glande toda se tornar avermelhada, inchada e dolorosa. Às vezes há uma secreção espessa, purulenta que é produzida abaixo do prepúcio. Pode ser impossível retrair o prepúcio. Também pode haver dor ou desconforto ao urinar.

O que pode causar a balanite?

Há diversas causas de balanite:

1)     Má higiene

A má higiene genital, combinada a um prepúcio apertado, pode resultar em irritação pelo esmegma. O esmegma é uma secreção com aspecto de queijo cremoso que se forma abaixo do prepúcio. O prepúcio deve ser frequentemente retraído para que a glande seja limpa. Essa é a causa mais comum de balanite.

2)     Infecção – Não transmitida sexualmente

Vários micróbios que habitam a pele em números reduzidos podem se multiplicar e causar uma infecção. Uma causa comum de infecção é uma levedura denominada cândida, que também causa a candidíase vaginal nas mulheres. A cândida é um dos micro-organismos que vivem na pele humana e que, às vezes, pode causar uma infecção.
 

Algumas bactérias também podem levar a balanite. Qualquer homem ou garoto pode ser acometido por uma infecção. Uma infecção da glande é, contudo, mais provável de ocorrer se você:
  • Já apresenta algum grau de inflamação do pênis devido a alguma alergia ou algum agente irritante (leia mais abaixo)
  • É diabético, particularmente se o diabetes não estiver bem controlado e houver açúcar na urina. Após urinar, gotas de urina que contém açúcar podem ficar retidas abaixo do prepúcio e estimular a multiplicação de micróbios.
  • É portador de fimose. A fimose é uma doença na qual o prepúcio não pode ser retraído de forma que a glande não pode ser exposta para ser adequadamente higienizada. É comum em garotos e geralmente se resolve espontaneamente até os cinco anos de idade. Quem apresenta uma fimose tem maior probabilidade de desenvolver uma balanite, pois suor, sujeira e urina podem se acumular abaixo do prepúcio. Isso pode irritar a glande diretamente ou pode levar a proliferação de micróbios.
3)     Infecções – Transmitidas sexualmente

Algumas doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) podem causar balanite. Uma DST é mais provável se também houver inflamação do canal por onde passa a urina (o que se denomina uretrite). Várias DSTs podem causar uretrite e balanite, como herpes, gonorreia e clamídia, por exemplo. Sintomas de uretrite incluem dor ao urinar e saída de secreção pela uretra.

4)     Alergias e agentes irritantes

A pele da glande é sensível. Ela pode reagir e se tornar inflamada caso entre em contato com várias substâncias, por exemplo:
  • Se você não retrair o prepúcio e lavar a glande, pode haver acúmulo de fragmentos de pele antiga, urina, suor e outros dejetos. Isso pode irritar a glande e iniciar um processo inflamatório.
  • Alguns produtos de limpeza, como sabonetes, que podem ser utilizados no pênis.
  • Lavar em excesso ou esfregar a glande também pode irritar sua pele delicada.
  • Preservativos, espermicidas e lubrificantes íntimos podem irritar a glande.
  • Substâncias químicas derrubadas em suas mãos podem atingir o seu pênis quando você o manipula no banheiro.
  • Alguns sabões em pó ou amaciantes que não foram bem enxaguados das roupas de baixo.
5)     Doenças dermatológicas

Algumas doenças dermatológicas (da pele) podem causar uma balanite ou podem ser confundidas com uma balanite, como a psoríase e outras doenças dermatológicas incomuns.

Como se diagnostica a causa da balanite?

O médico pode diagnosticar facilmente a balanite pelo aspecto característico da glande. Em alguns casos a causa provável também pode ser determinada apenas pelo exame físico. A infecção pela cândida, por exemplo, costuma ter uma aparência típica. Por isso, o médico pode ser capaz de dar o diagnóstico e prescrever o tratamento sem necessidade de exames complementares.

Mas caso o médico não tenha certeza da causa ou se a balanite não melhorar com o tratamento, pode ser necessário realizar um ou mais dos exames a seguir:
  • Um swab para identificar bactérias pouco comuns.
  • Um exame para procurar diabetes.
  • Exames para diagnosticar doenças sexualmente transmissíveis.
  • Pode ser necessário encaminhar o paciente a um dermatologista ou alergista se houver suspeita de uma doença dermatológica ou de alergia.
  • Caso persista a inflamação, uma biópsia da pele inflamada pode ser necessária para que seja feito o diagnóstico.
Qual o tratamento da balanite?

As recomendações a seguir devem ser seguidas por todos os portadores de balanite, independentemente da causa:
  • Use água morna para lavar o pênis e, então, seque-o cuidadosamente.
Os tratamentos a seguir dependem da causa da balanite:
  • Caso a causa seja cândida, pode-se utilizar comprimidos ou pomadas com agentes antifúngicos.
  • Os antibióticos são utilizados contra infecções causadas por bactérias, inclusive algumas DSTs.
  • Uma pomada a base de corticosteroides é útil para reduzir a inflamação na balanite causada por alergias ou agentes irritantes. Os corticosteroides também podem ser associados aos antifúngicos ou antibióticos para aliviar a inflamação causada pela infecção. Importante: nos casos em que há infecção, não se deve utilizar corticosteroides isoladamente, já que eles podem piorar o quadro infeccioso.


Se você apresenta balanite recorrente e é portador de fimose, então pode ser realizada uma postectomia (circuncisão) para remover o prepúcio.

É possível prevenir a balanite?

Dicas para ajudar a evitar a balanite:
  • Lave a glande (a cabeça do pênis) todos os dias. Retraia o prepúcio durante o banho e lave a glande utilizando apenas água ou água e um sabonete suave (pode ser um sabonete íntimo, de glicerina ou um sabonete neutro de bebe). Certifique-se que todo o pênis, inclusive a glande, está seco antes de vestir a roupa íntima.
  • Se os sintomas estão relacionados ao uso do preservativo, tente utilizar um preservativo para peles sensíveis (sem látex, atualmente há duas marcas no Brasil).
  • Lave suas mãos antes de manipular o pênis no banheiro, principalmente se você manipula substâncias que podem irritar a pele.
  • Use preservativos sempre que tiver relações sexuais com uma nova parceira.
    Fonte:  urologianiteroi.com.br

Elimine a Gota e o Ácido Úrico Definitivamente Com um Único Ingrediente!

O excesso de ácido úrico traz muitos prejuízos ao nosso bem-estar. Normalmente a quantidade exagerada desse ácido advém da má alimentação.

Quando os cristais se aderem às articulações e a alguns tecidos circundantes, isso comumente produz a gota, que causa muita dor, sensibilidade, vermelhidão e inchaço nas articulações. Para quem tem gota e ácido úrico elevado, é importante limitar a ingestão de álcool, uma vez que interfere na eliminação desse ácido.

Evitar o consumo de doces (frutose, xarope de milho, sacarose), pois eles tendem a aumentar os níveis de ácido úrico. Fazer exercício físico regularmente e manter um peso saudável é muito importante. Acredita-se que a gordura aumente a produção de ácido úrico.

Deve-se adotar uma dieta equilibrada rica em vegetais alcalinos e pobre em proteína. Evite carboidratos refinados, como pão branco, massas, bolos, doces, bebidas gasosas, chocolate, vinho tinto, carnes (especialmente as mais gordurosas), enlatados e embutidos.

Corte alimentos ricos em gordura, uma vez que reduz a capacidade do corpo para eliminar o ácido úrico. A maioria dos óleos vegetais se transformam em gorduras rançosas quando aquecidos ou processados. As gorduras rançosas destroem a vitamina E, vital no corpo e essencial para o controle dos níveis de ácido úrico.

Opte por azeite de oliva prensado a frio em vez de usar óleo vegetal (canola, soja, milho...), manteiga, margarina ou gordura nos seus alimentos.

Agora vamos ensinar um excelente tratamento caseiro para este problema. É um remédio antigo, tradicional e que já livrou muita gente do ácido úrico e da gota. A medicina popular é isso. Tratamentos que a maioria das pessoas não dá nada por eles revelam-se muito eficientes.

É o caso desta receita muito simples, usada no tempo dos nossos avós, mas que caiu no esquecimento porque comercialmente não é interessante. Veja como tudo é supersimples:

  O tratamento dura 30 dias.

Você vai tomar 1 colher (sopa) cheia de óleo de rícino três vezes no mês: no dia 1º, no dia 15 e no dia 30.


Faça isso de manhã cedo, em jejum. Nesse período, tome iogurte, coalhada, kefir, cápsulas de lactobacilos, enfim, algo para proteger a flora intestinal. Beba também muita água. e evite bebidas alcoólicas, refrigerante, chocolate, carne vermelha, alimentos processados, miúdos e frutos do mar. É só isso.

É  tão simples o tratamento, que não custa tentar, não é mesmo? O óleo de rícino vende-se em farmácia. Mas tem que ser o puro, para uso interno. Somente este serve para a receita. 
Fonte: curapelanatureza.com.br

Quais São as Necessidades das Famílias Com Crianças Com Deficiência?

Quando pensamos em famílias com crianças com deficiência e nas necessidades que podem ter, são necessidades de natureza material que sempre vêm à mente. 

Pensamos que talvez elas precisem de ajuda financeira ou infraestrutura, mas raramente percebemos que há outras dificuldades envolvidas.

A realidade é que elas também têm necessidades emocionais e sociais, bem como informativas. Embora pareçam menos importantes, são fundamentais para qualidade de vida. Especialmente se queremos que nossa sociedade continue avançando e se tornando um espaço onde todos os seus membros estejam devidamente integrados, devemos conhecer e levar em conta essas necessidades.

As famílias com crianças com deficiência têm necessidade de informação

Quando sabemos que uma criança tem uma deficiência, temos um número infinito de perguntas que nem sempre têm uma resposta. Às vezes encontramos com profissionais que não levam em consideração que nossa principal necessidade naquele momento é obter informações.

Em primeiro lugar, precisamos saber com certeza o que está acontecendo. Isso é fundamental para que possamos aceitar e internalizar essa nova realidade em nossa família. Mas não é só isso: também precisamos saber quais são as medidas que podemos tomar de antemão, tanto em termos de diretrizes parentais quanto em relação aos recursos que podemos solicitar, para prepararmos o ambiente para a chegada da pessoa com deficiência.

A realidade é que a necessidade de informação nunca desaparece. À medida que a criança cresce e se desenvolve, há mudanças que renovam as incertezas diante das novidades. Em cada estágio da vida, surgirão novas situações que nos obrigarão a aprender cada vez mais.

Por fim, a necessidade de informação das famílias não se limita exclusivamente a elas mesmas. Ou seja, também será relevante que os estigmas e a ignorância desapareçam nos círculos sociais em que se movem, desde os mais íntimos, como suas amizades, até a sociedade em geral, passando por escolas e outras instituições.

As famílias com crianças com deficiência têm necessidades emocionais

As incerteza e as dúvidas nas famílias com crianças com deficiência não vêm sozinhas, e geralmente estão associadas a emoções negativas que devem ser levadas em conta. Na verdade, o apoio é crucial neste contexto, como uma garantia e um suporte fundamental para o seu bem-estar.

Este desconforto geralmente surge por medo do desconhecido e do que está por vir. Se já é normal que as preocupações surjam sobre o cuidado com uma criança, elas aumentam quando os pais recebem uma notícia assim. Além disso, é normal sentir-se impotente, porque eles não podem reverter a situação, ou mesmo culpados, porque pensam que são responsáveis pelo que acontece com o seu filho.

Não é somente nesse momento que necessitarão de apoio. Também precisarão de apoio quando surgir a ansiedade, a ira ou a tristeza que geralmente aparecem nos cuidadores. Um primeiro passo é entender que essas emoções são normais e podem ser trabalhadas para que  não sejam tão fortes ou tão duradouras.

As necessidades sociais das famílias com filhos deficientes

Finalmente, não podemos esquecer outro pilar fundamental para o bem-estar de todos nós: o apoio social. Nesta linha, as famílias com crianças com deficiência também precisam dos vínculos com seus amigos e outros membros da família para gerenciar a situação da melhor maneira possível.

Ter pessoas com quem eles possam se expressar livremente, compartilhar seus pensamentos e emoções sem se sentir julgados, pois isso os encorajará a enfrentar melhor os diferentes desafios que surgem em momentos distintos da vida. Isso também vai incentivá-los a desempenhar melhor o papel de cuidadores.

Resumindo, ainda há muito a ser feito quanto a compreender e apoiar as famílias com crianças com deficiência. Damos um passo à frente se considerarmos que as necessidades materiais serão muito importantes nesta situação, mas não serão o bastante se não fornecermos a ajuda afetiva e social de que elas precisam para promover seu bem-estar.
Fonte: amenteemaravilhosa.com.br

6 Sucos Que Previnem e Combatem Anemia

 
Para combater a anemia e ainda obter energias para o resto do dia é conveniente beber estes sucos pela manhã, logo ao acordar. Também podemos tomá-los várias vezes ao dia.

A anemia é uma doença que ocorre quando há uma diminuição nos níveis de células vermelhas e hemoglobinas no sangue.

Esta situação leva ao desenvolvimento de outros problemas de saúde, visto que diminui a capacidade de transportar o oxigênio desde os pulmões até o resto de tecidos do corpo.

Como consequência a pessoa se sente mais cansada, fraca e com dificuldades de concentração. Também pode apresentar palidez na pele e fragilidade nos cabelos e unhas.

Para acelerar a recuperação desta doença é importante aumentar o consumo de alimentos ricos em ferro.

Este mineral é responsável por aumentar a quantidade de glóbulos vermelhos para restaurar todas as funções que são afetadas por sua deficiência.

Neste sentido, podemos apoiar o tratamento com uma série de sucos naturais que oferecem esses e outros importantes nutrientes.

Hoje queremos compartilhar 5 boas receitas para que não deixem de prepará-las como forma de prevenção e tratamento.

1. Suco de salsa para prevenir e tratar a anemia

A salsa é uma erva cujas propriedades são valorizadas na medicina alternativa e na gastronomia. Ela contém uma boa quantidade de ferro, além de vitaminas e substâncias antioxidantes que promovem a desintoxicação do corpo. Advertimos que este suco não tem o melhor sabor, mas vale a pena prepará-lo por seus benefícios.

Ingredientes

  • 1 punhado de salsa
  • O suco de 1 limão
  • 1 copo de água (200 ml)

Como prepará-lo?

  • Pegue um punhado de salsa, lave bem e corte em vários pedaços.
  • Coloque no liquidificador, adicione o suco de limão recém espremido e água.
  • Bata por uns instantes até que não sobrem pedaços de salsa.
  • Beba imediatamente, preferivelmente no café da manhã.

2. Suco de beterraba e levedura de cerveja


A beterraba é uma hortaliça com um grande teor de ferro, muito benéfica contra os sintomas da anemia. Seu poder energizante combate a fadiga e seus nutrientes são bons para aliviar a fragilidade dos cabelos e das unhas.

Ingredientes

  • 1 beterraba
  • 1 cenoura
  • 1 colher de chá de levedura de cerveja (5 g)
  • 1 copo de água (200 ml)

Como prepará-lo?

  • Corte as beterrabas e as cenouras em vários pedaços e coloque-as no liquidificador.
  • Adicione um copo de água e a colher de chá de levedura de cerveja e processe tudo por uns minutos.
  • Bata até obter um líquido homogêneo e sem pedaços.
  • Sirva e beba imediatamente.

3. Suco de amora, morango e maçã

Este delicioso suco não só contém ferro como também fibras e compostos antioxidantes que ajudam a limpar o sangue.

Ingredientes

  • 2 amoras
  • 3 morangos
  • 1 maçã
  • ½ copo de água (100 ml)

Como prepará-lo?

  • Lave bem as amoras e os morangos e coloque-os no liquidificador.
  • Corte as maçãs em vários pedaços e adicione ao resto dos ingredientes. Não se esqueça de retirar as sementes.
  • Misture meio copo de água para facilitar a trituração e bata por dois minutos.
  • Tome-o pela manhã.

4. Suco de rabanete e agrião


O suco de rabanete e agrião é uma bebida pobre em calorias que você poderá incluir na dieta para prevenir a anemia e controlar a fraqueza e a fadiga.

Ingredientes

  • 5 maços de agrião
  • 4 rabanetes
  • 2 maços de espinafre
  • 1 copo de água (200 ml)

Como prepará-lo?

  • Lave as verduras e passe-as por um extrator de sucos.
  • Adicione um copo de água e consuma a bebida resultante no café da manhã.

5. Suco de cenoura e agrião

As cenouras e o agrião proporcionam uma quantidade de fibras, vitaminas e minerais essenciais que revitalizam o corpo. O consumo regular de seu suco previne os quadros de anemia e ajuda a melhorar o rendimento físico e mental diante das quedas de energia.

Ingredientes

  • 3 cenouras
  • 2 maços de agrião
  • 1 copo de água (200 ml)

Como prepará-lo?

  • Corte as verduras, coloque-as no liquidificador e bata-as junto com um copo de água.
  • Bata até obter um líquido homogêneo, sirva e beba no menor tempo possível.
  • Você poderá tomar até dois copos por dia.

6. Suco de cenoura, espinafre e salsão

Este suco de verduras contém vitaminas e minerais que potencializam as energias do corpo frente às dificuldades como a fadiga crônica e a anemia.

Ingredientes

  • 5 cenouras
  • 1 maço de salsão
  • 1 punhado de espinafre
  • 1 copo de água (200 ml)

Como prepará-lo?

  • Lave bem todo os ingredientes, corte-os em pedaços e coloque-os no liquidificador junto com a água.
  • Bata na velocidade rápida durante alguns minutos, até obter uma bebida homogênea.
  • Sirva-o recém-feito e beba no café da manhã.
Você poderá escolher qualquer uma dessas receitas para complementar seu tratamento contra os sintomas da anemia. No entanto, é preciso levar em conta que estes sucos não servem como substitutos dos medicamentos ou conselhos receitados pelo médico.
Fonte: melhorcomsaude.com.br

Aneurisma da Aorta - Dilatação de Artérias em Região Abdominal


Muitas vezes tal problema acontece sob a forma de achado ocasional numa ecografia abdominal ou noutro estudo de imagem realizado por “rotina” ou motivado por sintomas não relacionados.

O que é o Aneurismas da Aorta?

Um aneurisma é uma dilatação de uma artéria, podendo ocorrer em qualquer região anatômica. A maioria ocorre na aorta – a maior artéria do corpo humano, que tem origem no coração e desce através do tórax e abdômen, acabando por se dividir em dois ramos principais. A maior parte dos aneurismas da aorta ocorre na sua porção abdominal, embora a aorta torácica também possa ser afetada.

Quais os principais fatores de risco dos Aneurismas da Aorta?


O tabagismo, o consumo excessivo de colesterol na dieta e a hipertensão arterial são os principais fatores de risco dos aneurismas da aorta. Os aneurismas da aorta podem igualmente ter origem em causas muito mais invulgares: algumas pessoas são afetadas por uma fraqueza congênita da parede arterial (o muito raro síndrome de Marfan); determinadas bactérias podem infectar a parede da aorta e enfraquecer segmentos da sua parede; por vezes, os aneurismas da aorta (especialmente da aorta torácica) são detectados após traumatismos associados a desacelerações súbitas, como quedas de grande altura ou acidentes de viação. Situações há, no entanto, em que a causa de um aneurisma da aorta não resulta totalmente clara.

Quais o riscos do Aneurisma da Aorta?

Um aneurisma da aorta pode romper, provocando uma hemorragia interna e assim pôr em risco a vida. O risco de rotura está relacionado (mas não só) com as dimensões do aneurisma.

Os sintomas e sinais associados à rotura de um aneurisma aórtico são geralmente: dor abdominal e/ou dorsal persistente e intensa, sudação profusa, hipotensão, pulso rápido e mesmo perda de consciência. Trata-se evidentemente de uma emergência médica. Não é felizmente forçoso que um aneurisma rompa - muitos são de pequenas dimensões quando detectados, e assim permanecem. A maioria dos aneurismas, no entanto, cresce lentamente ao longo do tempo (geralmente entre 3 a 6 milímetros por ano), sem provocar sintomas – é isso que os torna de tão difícil detecção. Embora raramente, à medida que aumenta de dimensões, um aneurisma pode provocar dor no dorso, e algumas pessoas (especialmente se magras) podem sentir uma massa pulsátil no abdômen.

Qual o tratamento do Aneurisma da Aorta?

O tratamento de um aneurisma da aorta depende das suas dimensões, localização e estado de saúde global do doente. Aneurismas pequenos (tipicamente menos de 5,5 cm de diâmetro) em indivíduos assintomáticos podem ser monitorizados em segurança – geralmente através de ecografias abdominais anuais. Os aneurismas da aorta grandes ou que aumentaram rapidamente de dimensões, bem como aqueles que provocam sintomas, devem ser corrigidos cirurgicamente. Existem atualmente dois tipos de cirurgia disponíveis para os aneurismas da aorta: a cirurgia “aberta”, dita clássica, e a cirurgia endovascular.

A cirurgia clássica envolve a abertura do abdômen e/ou do tórax, e a interrupção temporária do fluxo sanguíneo através da aorta, de modo a permitir a substituição do segmento arterial dilatado por uma prótese sintética. Trata-se de uma cirurgia com provas de eficácia demonstradas ao longo das últimas décadas, que implica geralmente um internamento de uma semana, e um período de recuperação de cerca de 6 semanas.

Há alguns anos, a maioria dos principais centros de cirurgia vascular, começou a utilizar um método inovador para corrigir os aneurismas da aorta: a cirurgia endovascular. Neste tipo de procedimentos, uma prótese sintética (basicamente um tubo de tecido com uma estrutura de metal) é introduzida até à aorta através das artérias da raiz da coxa, aberta e fixada em posição nas zonas saudáveis da aorta (acima e abaixo do aneurisma). Este método, embora não totalmente desprovido de risco, permite reduzir o tempo de recuperação para apenas alguns dias. O seu maior inconveniente talvez se prenda com a necessidade de realizar exames de controlo (geralmente tomografias computorizadas) ad eternum.

A técnica endovascular está especialmente indicada em doentes com problemas médicos preexistentes (cardíacos ou pulmonares), que os colocariam em elevado risco de complicações se operados pelo método clássico.

Um aneurisma da aorta que progride até à ruptura, embora possa ser reparado com uma cirurgia emergente, acarreta geralmente um prognóstico sombrio. A maioria dos doentes com um aneurisma da aorta que rompe, acaba por morrer antes de chegar ao hospital. Daqueles que chegam a submeter-se a uma cirurgia emergente, apenas cerca de metade sobrevive. Felizmente, a maioria dos aneurismas da aorta nunca chega a romper.

Algumas drogas com o potencial de atrasarem a expansão de um aneurisma aórtico, são ainda objeto de investigação. Atualmente, as principais medidas preventivas dos aneurismas da aorta passam por um estilo de vida saudável sob o ponto de vista vascular: controle da tensão arterial, evicção do tabagismo, exercício físico e dieta sem quantidades excessivas de gordura.

Quando falamos de aneurismas da aorta, a nota final não pode deixar de ser otimista: estamos perante uma patologia que quando corrigida de forma programada, apresenta elevadas probabilidades de resolução definitiva.
Fonte: cirurgia-vascular.pt

saúde

curiosidades

psicologia

 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!