Ultimas

Como Agir em Uma Crise de Pânico?


Se você já teve uma crise de pânico ou de ansiedade e ainda não consultou um profissional para orientá-lo sobre como resolver a questão, é provável que a situação se repita.

Os sintomas mais comuns em uma crise deste tipo são: mal-estar físico geral com náuseas, tonteira, sudorese intensa, aperto no peito, dificuldade respiratória, desconforto gástrico, palpitações e confusão mental.

Um sintoma característico destas crises é o medo intenso de morrer de repente. É frequente o relato de "ter medo do medo".

Muita gente recorre a médicos buscando causas orgânicas que justifiquem o mal-estar, o que as faz perder tempo e dinheiro.

Se a crise se repetir, até começar um tratamento específico leve em conta estas sugestões para sofrer menos.

Passos:

1 - Procure um lugar onde você possa sentar ou recostar confortavelmente e concentre-se em respirações profundas (movendo o ar a partir do abdômen), lentas e pausadas para não aumentar o enjôo.

2 - Se estiver com uma pessoa da sua confiança, diga o que está acontecendo e peça que faça companhia, mantendo-se em silêncio, sem fazer perguntas nem tentando descobrir as causas do seu mal-estar.

3 - Repita para si mesmo que nada de mau ou irremediável vai acontecer. Aceite que o seu corpo precisa de alguns minutos para recuperar o equilíbrio interno, e assim superar a crise, voltando ao estado normal. Lembre-se de que geralmente uma crise com estas características dura entre dois e quatro minutos.

4 - Não tente negar o que está sentindo nem disfarçar. Aceite a crise como uma resposta integral, apesar de ineficaz, do seu organismo a uma suposta ameaça que só existe na sua realidade psíquica.

5 - Observe novamente o que está à sua volta para reforçar a noção de que não há ameaças reais. Enquanto isso, mantenha a respiração sob controle, realizando conscientemente inspirações profundas e expirando lenta e suavemente. 

6 - Tente não deixar a sua fantasia criar imagens trágicas ou de sofrimento. Procure pensar em como o seu corpo está se esforçando para restabelecer a calma, o que com certeza acontecerá em poucos minutos.

7 - Quando sentir que a crise começou a ceder, permita-se alguns minutos mais de repouso e relaxamento. Não se exija retomar as suas atividades imediatamente, como se nada tivesse acontecido.

8 - Repasse mentalmente a crise sem tentar tirar conclusões apressadas, e confirme que ela já foi superada. 
9 - Proponha-se a buscar ajuda profissional, sem esperar para saber se haverá uma nova crise no futuro.


Importante:

A crise de pânico é uma resposta psicossomática (resposta física de origem psicológica) a situações físicas, psicológicas e ambientais complexas que estão afetando você no momento.

Entenda-a como um sinal de alerta, que você mesmo se enviou, para prestar mais atenção em si mesmo e procurar a ajuda profissional necessária para resolver as situações que geram o problema.










Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!