Ultimas

Picada de mosca também causa doença grave

leishmaniacutanea

A Leishmaniose, transmitida, pelo protozoário do gênero Leishmania, tem deixado muitas dúvidas, tentaremos esclarecer.

Para que o protozoário consiga fechar o ciclo, precisaremos de mosquitos flebotomíneos, também chamados de mosquito palha ou birigui, que  transmite a doença ao homem, através de sua picada. No Brasil existem seis espécies de Leishmania, responsáveis pela doença em Humanos. E mais de 200 espécies de flebotomíneos, implicados em sua transmissão.

inseto

A Leishmania pode atacar os cães e as raposas, que são considerados reservatórios da doença, a doença foi descoberta pelo médico-sanitarista Thomaz Corrêa Aragão, em 1954, assim como a sua cura.

Existem três tipos: a Leishmaniose cutânea , mucocutânea e a visceral.

Leishmaniose cutânea


É a forma mais comum de leishmaniose. É uma infecção de pele causada por um parasita unicelular pelo que é transmitido pelas picadas da mosca de areia.

Há aproximadamente 20 espécies de Leishmania que podem causar lesões cutâneas.


Leishmania mucocutânea

É a forma mais temida de leishmania cutânea porque produz lesões destrutívas desfigurando a face. É causada frequentemente por Leishmania (Viannia) braziliesis, mas são descritos raramente casos provocados por L. aethiopica.


Leishmaniose visceral

Leishmaniose visceral (LV), também conhecido como doença de Kala-azar e febre negra, é a forma mais séria de leishmaniose. É o segundo maior assassino parasitário no mundo, depois da malária, responsável em uma estimativa de 60 000 pessoas que morrem da doença a cada ano, entre milhões de infecções mundiais.

O parasito migra para órgãos viscerais (fígado, baço e medula óssea), sem tratamento quase sempre resultará em óbito do anfitrião mamífero.

Sinais Clínicos:



Febre, perda de peso, anemia, inchaço significativo do fígado  e baço.

Leishmaniose canina

O parasito infecta os órgãos do cão provocando lesões consideráveis, até provocar a morte do animal. A sintomatologia é muito variada, destaca-se lesões na pele, articulações e quando a doença está muito adiantada, problemas renais.



O parasito  é transmitido através da picada do mosquito flebotomo ou por um mosquito chamado pito. A diferença é que o primeiro é bem pequeno difícil de ver e ouvi-lo. Apenas as fêmeas picam, pois necessitam de sangue para desenvolver seus ovos. O pito, só prolifera na Bacia Amazonica.



O Ministério da Saúde, gerencia o Programa de Controle de Leishmaniose visceral canina.

Vacinas: Uma vacina está sendo testada, nos Municípios de Caratinga e Varzelândia, em Minas Gerais, BR, e também na Colômbia e Equador, sob a cordenação da OMS. Os resultados estão sendo promissores.
A vacina terapêutica foi desenvolvida pelo Professor Wilson Mayrink, pesquisador do Departamento de Parasitologia da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais), recebeu o registro do Ministério da Saúde, podendo ser comercializada no Brasil. (Postada por O Controle da Mente – Fonte: enciclopédia livre)
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Psicanálise em Ação!