Ultimas

Dez astros internacionais que admitem serem sexólatras

vi-se

Trata-se de um problema sério, mas que só em alguns casos é admitido publicamente como algo ruim — em outros, é considerado um traço de personalidade ou até algo “bom”. O vício em sexo faz parte da vida de 6,3% da população britânica (nada menos que 4 milhões de pessoas), segundo os Sexólatras Anônimos do Reino Unido. Aqui vai uma lista com dez dos casos internacionais mais conhecidos no showbiz.

Lindsay Lohan — Difícil explicar o complexo conjunto de problemas que atormentam a atriz de 26 anos. Mas parece que a solidão é um deles, o que já a teria levado a compensar com sexo a carência emocional. Em 2007, lhe perguntaram se uma de suas passagens por clínicas de reabilitação tinham a ver com sexolatria. Ela respondeu: “Foi um monte de coisas… Você sabe. Eu gosto de fazer sexo. Ser atriz é solitário, odeio dormir sozinha”.

David Duchovny — O eterno Fox Mulder de Arquivo X (hoje ironicamente vivendo o escritor mulherengo Hank Moody em Californication) revelou em agosto de 2008 que havia se internado numa clínica para tratar o vício em sexo. Isso, dizem, ajudou a encerrar, em 2011, o casamento de 14 anos com a atriz Téa Leoni, após uma suposta série de traições.

Kanye West — O rapper, que completa 35 anos neste sábado, já admitiu que luta contra o excesso de libido desde a infância. “Acho que eu tenho um problema sexual, um vício em sexo. Tenho vontade de fazer o tempo todo”, declarou ao tabloide The Sun o namorado da socialite Kim Kardashian.

Jesse James — Conhecido na TV dos EUA por sua relação íntima com motores de automóveis, James viu seu casamento de seis anos com a atriz Sandra Bullock ruir depois que uma tatuadora (com quem ele traía a esposa) vendeu a história da relação secreta para um tabloide. Ele se internou num centro de reabilitação em 2010. Depois, falou num programa de televisão: “Não acho que sou viciado em sexo no sentido de correr atrás de transar o tempo todo com todo mundo e não conseguir parar. Acho que faço coisas que sabotam minha própria vida, o que inclui casos extraconjugais, me sobrecarregar, me ferir, fazer coisas idiotas”.

Charlie Sheen — Um caso múltiplo, a exemplo do da colega e amiga Lindsay Lohan. Sheen já ficou em segundo lugar numa lista das dez maiores lendas vivas do sexo publicada sete anos atrás. Estimava-se então que houvesse dormido com mais de 5 mil mulheres (marca que já deve ter sido há um bom tempo ultrapassada). Quando, certa vez, lhe perguntaram se era viciado em sexo, respondeu “Claro. Só não sei o que isso quer dizer”, com o sarcasmo de sempre.

Ulrika Jonsson — Essa sueca de 45 anos é bastante conhecida na televisão britânica, onde começou como garota do tempo. Ela percebeu o próprio vício em sexo enquanto estudava o assunto para um documentário do Channel 4, em 2007. Ao comentar a autodescoberta, disse: “Suponho que milhares de nós, que pensávamos ser apenas azarados ou usados, poderíamos nos encaixar no perfil (de um viciado)”. Após muita terapia, apontou como as raízes do problema sua infância conturbada, em que conviveu com um pai adúltero e viciado em pornografia.

Tiger Woods — Provavelmente o caso do golfista é o mais conhecido desta lista. Seu problema veio à tona em 2009, quando a esposa, Elin Nordegren, descobriu mensagens de texto picantes que ele havia enviado a uma amante. Depois disso, descobriu-se que “a outra” era apenas parte de um universo de mulheres com quem o atleta traía a mulher. Não se sabe quantas eram, mas uma suspeita fofoca dá conta de exatas 121 moças. Após meses de silêncio, Woods emitiu um comunicado dizendo que havia errado, pedindo desculpas à ex-esposa, e resolveu se internar.

Denise Welch — A atriz e apresentadora inglesa de 55 anos admitiu o vício no ano passado, após dizerem que ela já havia transado com mais de 1 mil homens. “Gosto de sexo. Qual é o problema de ser uma sexólatra? Eu simplesmente gosto de fazer sexo oral”, afirmou (e nós suavizamos um pouquinho a tradução).

Russel Brand — O ator e comediante, que nesta terça-feira completou 38 anos de idade, já havia completado a marca das 2 mil mulheres na cama em 2007, segundo ele próprio. Isso o levou a seguir a recomendação de amigos e se internar. Porém detestou a experiência, afirmando que o lugar era cheio de “pervertidos e pedófilos” se masturbando pelos cantos. O casamento com a cantora Katy Perry, em 2009, parecia o sinal de um novo tempo para Brand. Mas o relacionamento só durou 14 meses, depois dos quais ele voltou à vida de antes. Como ele definiu o pós-separação? “É como se você estivesse numa dieta só com arroz por um tempo e Willy Wonka aparece de repente e diz ‘Preciso de você no comando da minha fábrica de chocolate!’”.
_

John Mayer — Taylor Swift, Jennifer Aniston, Katy Perry… A lista de belas famosas que já provaram da companhia do músico norte-americano não é nada ruim para seus 35 anos de vida. Mas foi a cantora Jessica Simpson quem o teria feito, digamos, pirar quando o assunto é sexo. “Aquela garota, pra mim, é como uma droga”, disse ele, comparando a moça ao crack. “Existem pessoas com o poder de mudar nossos valores. Você já esteve com uma garota que te deu vontade de largar sua vida? Já teve vontade de dizer ‘Quero deixar a minha vida e só ficar sentindo seu cheiro. Se você me cobrasse 10 mil dólares só pra transar com você, eu venderia tudo que tenho apenas para continuar transando contigo’?”. Sim, parece que o lance foi sério. E Simpson ficou constrangida, mas não propriamente desmentiu as temperaturas a que o caso da década passada chegou. “Fiquei um pouco irritada. Não quero que as pessoas saibam como sou na cama”, disse à apresentadora Oprah Winfrey. (Postado por O Controle da Mente – Fonte: revistamonet.globo)

Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!