Ultimas

Doença chocante que pode deixar marcas para sempre

Imagens mostram a terrível realidade de um portador de sífilis, exemplificando os danos que o sexo desprotegido pode causar. 

Este homem de 28 anos precisou passar por um tratamento hospitalar depois de desenvolver úlceras cutâneas dolorosas, que viraram crostas por todo o corpo. 

O que começou como nódulos indolores transformou-se em feridas que soltavam pus, em apenas duas semanas, embora seja provável que ele tenha contraído a doença há meses ou até mesmo anos, disseram os médicos. As imagens foram divulgadas pelos médicos chineses na revista The Lancet, com o objetivo de mostrar os efeitos graves que algumas cepas da bactéria da sífilis podem causar no corpo humano.

O homem foi tratado no Hospital da Universidade Médica Chinesa, em Shenyang, China. Os médicos que o trataram escreveram na revista: “O homem tinha um histórico de múltiplas úlceras cutâneas dolorosas de um mês em sua face, tronco e extremidades. As erupções haviam começado pequenas e progrediram para pústulas e úlceras dolorosas dentro de 2 semanas”. Como resultado, o paciente foi diagnosticado pela primeira vez com pioderma gangrenoso, uma condição rara da pele que provoca úlceras dolorosas. Mas seus sintomas pioraram e, depois de uma semana, ele desenvolveu febre alta enquanto era tratado no hospital.

Outros testes confirmaram que ele estava sofrendo de sífilis maligna, uma cepa rara de DST (Doenças Sexualmente Transmissíveis). O homem relatou ter tido relações sexuais com quatro mulheres durante o ano passado, mas negou relações com homens.

Todos os anos, 498 milhões de pessoas entre 15 e 49 anos são infectadas com clamídia, gonorreia, sífilis ou tricomoníase, de acordo com a Organização Mundial de Saúde. Apenas nos EUA, o número de casos de sífilis subiu 10% entre 2012 e 2013, com os homens gays e bissexuais respondendo por 75% do aumento. 

Da mesma forma, os últimos números de Saúde Pública da Inglaterra revelaram que casos de sífilis mortais aumentaram 33% entre 2013 e 2014, com um aumento de 47% entre os homens homossexuais. A doença é totalmente atribuída ao não uso de preservativos e as taxas refletem um caso de saúde pública em todo o mundo.

As três fases da sífilis começam com uma ferida altamente infecciosa nas partes genitais, ou, às vezes, ao redor da boca. Se alguém entra em contato com a ferida, normalmente durante o ato sexual, também pode ser infectada.

A ferida dura de duas a seis semanas antes de desaparecer, de acordo com a NHS Choices. Isso pode, em seguida, tornar-se uma erupção cutânea e dor de garganta, que pode desaparecer dentro de algumas semanas. A fase oculta sem sintomas pode durar anos, mas, depois disso, a sífilis pode progredir para a terceira e mais perigosa etapa, anos depois da infecção original. 
Cerca de um terço dos casos não tratados se desenvolvem em estágios atrasados, ​​quando a doença pode danificar o cérebro, nervos, olhos, coração, vasos sanguíneos, fígado, ossos e articulações. Quando diagnosticada precocemente, a sífilis pode ser tratada com antibióticos. 
Via: Jornal Ciência


Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!