Ultimas

5 fenômenos que a ciência não consegue explicar

A raça humana ainda convive com mistérios que ainda não conseguiu desvendar, como descobertas recentes do espaço que ninguém conseguem explicar, imagens bizarras que a Ciência não consegue explicar e artefatos históricos autênticos que ninguém consegue explicar.

Mas os mistérios não param por aí. Existem vários fenômenos da natureza, psíquicos e até mesmo alguns considerados paranormais que a ciência ainda não conseguiu dar explicações sobre o seus funcionamentos.

Intuição, o efeito placebo, a sensação de Deja Vu, qual é o motivo de a ciência não conseguir explicar o acontecimento destes fenômenos em pleno século XXI?

Preparamos para você uma listinha de alguns fenômenos e mistérios que a ciência não consegue explicar em pleno século XXI.

1 – Intuição

intuição
Muita gente confunde com palpite, mas intuição vai muito mais além do que isso. Trata-se daquele sentimento que nos diz que alguma coisa está para acontecer e acontece de estarmos com razão quanto a isso.

É mais ou menos uma espécie de voz interior afirmando que algo vai acontecer com toda a certeza.

A intuição é um tipo de sensação que é difícil de ser provada e testada porque nem mesmo testes mais aprofundados na região do nosso cérebro, como a tomografia por exemplo, conseguem identificar alguma atividade diferente na região do nosso cérebro.

2 – Deja vu

dejavu
O Deja Vu é aquela sensação de já ter vivido algum tipo de momento que você passou antes. É uma experiência que você sente que está vivendo no presente algo que já passou antes.

Muita gente já passou por esse tipo de sensação em algum momento da vida. Ele é atribuído a experiências de premonição ou então flashbacks que teríamos de momentos vividos em nossa vida.

Segundo a psicologia, isso pode oferecer algumas explicações de caráter científico, no entanto a fonte e a causa do Deja Vu ainda não foi descoberta pela ciência.

3 – Experiência de quase morte

Astral-Projection-1-600x397
De acordo com o Neurocirurgião residente no Hospital Geral de da Universidade de Massachusetts e em Harvard e membro do clube da “ciência dogmática”, Eben Alexander, “As pessoas vivenciam esse tipo de experiência com frequência, mas a ciência e a religião não lhes permitem falar a respeito“.

Ele afirma que passou por uma experiência de quase morte, aos 54 anos de idade, no ano de 2008. “Depois que eu voltei, descobri que versões dela acontecem o tempo todo com outras pessoas. 

A partir daí, mudei de lado –não para o lado da ‘religião dogmática’, mas para um terceiro lado: acredito que tanto a ciência quanto a religião têm coisas a nos ensinar, mas que nenhuma das duas jamais terá todas as respostas”, afirma o Neurocirurgião.

4 – Efeito placebo

Homem-tomando-remedio-cor1-615x340
De acordo com o jornal Folha de São Paulo, o efeito placebo é o “principal  complicador no caso da medicina alternativa. “Placebo”, em latim, significa “agradarei”. 

Em sua versão mais básica, placebos são comprimidos que não têm nenhum princípio ativo, mas produzem no paciente a convicção de ter recebido um tratamento.”

A ciência médica não consegue responder sobre o efeito placebo porque este método é baseado apenas nas propriedades curativas da “pílula vazia”.

Ela ainda não consegue explicar e comprovar com testes se o efeito realmente é eficiente no organismo humano.

5 – Percepção extrassensorial

0_15
De acordo com o infoescola, “A percepção extra-sensorial é uma expressão muito utilizada na Parapsicologia, e envolve as mais diversas faculdades mentais inerentes a algumas pessoas, conhecidas como sensitivas ou psíquicas. 

Estas capacidades que vão além dos sentidos convencionais presentes em todos, são também denominadas de ‘psi’. As pessoas dotadas destas habilidades têm uma percepção mais apurada dos eventos e dos objetos à sua volta, sem precisar para isso recorrer aos órgãos dos sentidos mais usados.”

Os experimentos que tentaram provar a existência desse tipo de fenômeno não foram muito consistentes e tiveram resultados considerados inexpressivos. A ciência não consegue desenvolver métodos científicos que comprovem estes fenômenos.
Via: Info Escola / Folha de São Paulo / hypescience / Brightsid / A Tribuna MT


Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!