Ultimas

Os 7 tratamentos médicos mais excêntricos do mundo

O ser humano sempre procurou dominar tudo o que era desconhecido, e com a medicina não foi diferente. Inúmeras pesquisas foram feitas com a esperança de curar determinadas doenças ou amenizar os sofrimentos causados pelos flagelos da vida.

Alguns tratamentos médicos são considerados estranhos e até bizarros. Já pensou em engolir um peixe vivo para combater a asma? Isso mesmo! Essa era a receita secreta para a família indiana Bathini Gauds que administrou o tratamento. Inacreditável, não?

Conheça os 7 tratamentos médicos mais bizarros do mundo. Boa sorte!

1. Sanguessugas

Você já ouviu falar em sanguessugas medicinais? Eles estão retornando devido a microcirurgias. Elas fornecem meios efetivos de reduzir a coagulação do sangue, aliviar a pressão venosa e na cirurgia reconstrutiva para estimular a circulação após cirurgias de reimplante. 
Você sabia que o efeito terapêutico não vem do sangue que é sugado na refeição da sanguessuga? É do fluxo contínuo de sangue gerado pelo animal, que vasculariza regiões em que o sangue poderia coagular. As sanguessugas ajudam a evitar a rejeição e necrose de tecidos. A pergunta é: você tem coragem de entrar em contato direto com esses bichinhos?

2. Quimioterapia da Malária

Você deve ter pensado que esse tratamento tem relação com a própia malária, não é mesmo? Mas ele já foi usado para o tratamento de Sífilis. Inicialmente não existia nenhuma maneira de cura da doença. Até que Wagner Jauregg, teve a ideia de tratar os pacientes com sangue que foi infectado por malárias. Dá para imaginar? A febre alta livra a pessoa da doença. O tratamento rendeu a Wagner o Nobel, o método estava em uso até a descoberta da penicilina. Interessante, não?

3. Urinoterapia

Acredite ou não, mas a urina humana tem muitas aplicações medicinais e cosméticas, (antigamente era usada na indústria têxtil). Isso porque, ela pode ser usada como líquido para massagens e até ser bebida. Não existem provas científicas sobre os benefícios do uso da urina, mas ela tem algumas substâncias benéficas, como a vitamina C. 
O problema é que essas substâncias estão presentes na urina pois não foram utilizadas pelo corpo, então tomá-las novamente irá resultar em uma segunda excreção. O efeito fisiológico mais óbvio ao beber urina são as contrações intestinais, que podem resultar em diarreia, devido ao efeito da ureia no corpo humano. Se for beber urina, cuidado!

4. Sangrias

A sangria deriva de uma antiga tradição grega, onde se acreditava que a drenagem de sangue estabeleceria o equilíbrio ao homem com aflições. Esta prática foi mantida na Europa Medieval pelos cirurgiões barbeiros e banida posteriormente. 

O tratamento consiste na retirada de certas quantidades de sangue de um paciente para prevenir ou curar doenças. Na maior parte dos casos, a sangria acabava sendo mais prejudicial aos pacientes do que a doença. A sangria não parou de ser utilizada, entretanto: ela é um dos tratamentos mais eficientes para o excesso de ferro no sangue e também para o excesso de hemácias na corrente sanguínea.

5. Fumar

Por muitos séculos o fumo foi usado como tratamento para várias doenças, mas hoje em dia a prática é quase extinta. Mesmo assim, pesquisas apontam que fumantes têm 50% menos chances de desenvolver doença de Parkinson e Alzheimer, e a nicotina também ajuda no tratamento de problemas como a hiperatividade. Além disso, alguns estudos sugerem que fumantes precisam de menos tratamentos de revascularização após cirurgias de intervenção na coronária. Mas isso não significa que as inúmeras doenças causadas pelo cigarro não sejam válidas!

6. Veneno de abelha

Você conhece a apiterapia? Esse tratamento usa substâncias produzidas por abelhas (como mel e veneno) para tratar a herpes e outras doenças. Isso mesmo! Surgiu no século 19, quando o médico austríaco Philip Terc foi picado por um enxame e, para sua surpresa, percebeu que as dores que sentia por causa de reumatismo diminuíram consideravelmente. 
 Alguns consideram essa terapia “natural demais”, mas isso não impede que médicos do mundo todo a utilizem para combater doenças como artrite, tendinite e herpes. Há até pesquisadores que buscam descobrir se o veneno de abelha pode ser usado no tratamento contra câncer. O problema é que alguns médicos preferem realizar apiterapia à moda antiga, fazendo com que os pacientes sejam picados por várias abelhas. E aí, você tem coragem de fazer o tratamento?

7. Transplante de fezes

Pelo nome…Bizarro até demais, não é mesmo? A bacterioterapia fecal é usada para problemas inflamatórios do sistema digestivo, como colite ulcerativa. O tratamento é realizado com vários enemas (lavagens intestinais) dados ao paciente durante cinco dias. Curiosamente, o tratamento requer um “doador” de fezes, geralmente um parente do paciente. 
 As fezes da pessoa saudável são transformadas em líquido e inseridas pelo ânus do paciente. Basicamente, as bactérias presentes nas fezes da pessoa saudável devem crescer no corpo do paciente e curá-las. Não pense que é só isso! Em alguns as vezes podem ser inseridas através do nariz. Dá para imaginar?

Via: thelisticles
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!