Ultimas

Como Vai Sua Autoconfiança? Os 4 Passos Para Conquistá-la!

A falta de confiança em si mesmo, a insegurança, é um problema sério. Podemos dizer que é um problema comum porque cada um acaba tenho uma área em que não se sente confortável para atuar. Assim, algumas pessoas tem uma insegurança que é generalizada, perpassa quase toda a vida em quase todas as situações, enquanto a maioria de nós acaba tendo falta de confiança para uma ou outra atividade. Por exemplo, para se aproximar de uma pessoa interessante em uma festa ou em situações de avaliação – como provas e apresentações – ou para conversar com os superiores no trabalho.

Assumir a responsabilidade

O primeiro passo para começar a ter mais confiança é assumir a responsabilidade pelos seus atos. Você está aonde está pelas suas escolhas do passado, não por circunstâncias aleatórias ou pela influência dos outros. 

Pessoas autoconfiantes sempre sabem que elas tem o poder de tomar decisões e modificar o estado das coisas. Colocar a culpa nos outros, retirando a responsabilidade de si mesmo, é causa e consequência da insegurança, pois imagine: se tudo é culpa do que não posso controlar, como vou me sentir seguro para agir? Portanto, o primeiro passo é dizer e pensar: “Eu sou responsável por estar aqui, desta forma e deste jeito”.

Às vezes isto pode soar como um choque e pode causar um sentimento de raiva, tristeza ou lamento. Mas é importante trazer a responsabilidade para você. Só assim você conseguirá começar a ter firmeza em seus próprios comportamentos e escolhas. Só assim você conseguirá ver que nos próximos cinco anos você poderá ter mudado completamente a sua vida, começando agora!

Lidar com seu passado

O segundo passo para ter mais autoconfiança é investigar o passado e descobrir o porque de a confiança ter sido diminuída. Se você gostaria de ter um nível maior de confiança em si mesmo, você deve ter experienciado em seu passado certos momentos ou contatos com outras pessoas que fizeram com que você perdesse um pouco a confiança, não é mesmo?

Mas, já assumindo a responsabilidade por sua vida, você tem que começar a pensar que pode ter havido uma influência externa, porém, foi você mesmo que deixou esta influência te abalar. Como diz Sarte: “Não importa o que fizeram com você o que importa é o que você faz com aquilo que fizeram com você”.

Então, vamos lá: pense em quais momentos do passado foram importantes no abalar da sua confiança. Escreva-os em um papel com caneta ou lápis, em detalhes, as pessoas, momentos ou fatos que te afetaram.

Você pode pensar neste passado como um monstro imaginário que você tem tentado esconder, mas que é fundamental confrontar. O que poderia ter sido diferente? O que você poderia ter feito de diferente? Este passado realmente é importante, tem relevância ou um real impacto hoje? Na maioria das vezes, a resposta será não.

Depois de ter escrito, você deve colocar para fora ainda mais, conversando com um amigo ou amiga próxima, com um parente em quem você confia ou com seu psicólogo ou psicóloga. Ao escrever e falar, você traz tais influências imaginárias para o presente, confronta-se com o que aconteceu, e se torna mais consciente.

Remova a negatividade da sua vida

Se formos analisar bem, veremos que a falta de confiança e a insegurança são causadas por pensamentos e sentimentos negativos.

Se você está em uma festa e não sente confiança para se aproximar de uma outra pessoa, você deve, no fundo, estar pensando que não vai dar certo. Assim como em situações de apresentações públicas ou provas e avaliações. A insegurança se baseia, certamente, em fatores internos de negatividade.

O terceiro passo, deste modo, é fazer uma avaliação completa destas pensamentos e sentimentos. Pegue novamente um papel e pense no último ano. Em que situações você se sentiu mais para baixo, sem confiança, motivação ou segurança para realizar alguma coisa?

Seja honesto contigo mesmo porque a partir de agora você vai passar a remover, a combater, a deixar de lado todos estes pensamentos e sentimentos que estão te afetando.

Um jeito interessante de pensar nos pensamentos que temos é imaginá-los como uma rádio interno que fica tocando e tocando determinadas “músicas”. Se você para para ouvir bem, verá que são apenas palavras, sons que você diz para si mesmo, normalmente até sem perceber. Então, a partir de agora, você vai passar a mudar de estação de rádio e vai começar a ouvir “músicas” que lhe trarão segurança, confiança e autoestima.

Continuando o exercício, pense também no ano que passou e lembre-se de momentos em que você se sentiu muito bem consigo mesmo, momentos em que você arrasou e se elogiou. Anote em detalhes os momentos, situações, eventos em que você teve mais confiança nos últimos doze meses.

Comparando os momentos de otimismo e negativismo, você já estará mais consciente das duas “estações de rádio” e poderá começar facilmente a escolher qual estação quer deixar tocar.

Imaginando o sucesso

Para atingir os seus objetivos, metas e projetos você tem que ser capaz de se imaginar sendo bem sucedido. A imaginação aqui é importantíssima por dois sentidos. Primeiro, porque ao imaginar você já começa a se sentir capaz, sua confiança aumenta instantaneamente. Segundo, porque ao imaginar o sucesso você está como que dizendo para o seu cérebro aonde você quer chegar.

O quarto e último passo é também muito simples: Sente-se ou deite-se confortavelmente e imagine em todos os detalhes, com cores, sensações, sons ambientes, cheiros (se possível), um filme no qual você está conseguindo atingir e realizar o seu objetivo. Veja o filme várias vezes e você começará a ter e a manter a sua autoconfiança em um alto nível.

Pois no final das contas o processo é muito simples. Pessoas autoconfiantes assumem a responsabilidade por seus atos, conhecem o seu passado, combateram a negatividade no que não deu certo antes e vivenciam o sucesso mesmo antes de atingi-lo.
Fonte: Psicologiamsn.com
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!