Ultimas

Drogas: Por Que Devemos Dizer Não a Elas?

O uso de drogas por crianças e adolescentes vem crescendo cada vez mais. Um estudo realizado no Brasil e publicado no Jornal da Tarde mostrou que 24,7% dos jovens entre 10 e 17 anos já experimentaram algum tipo de droga. Um número realmente alarmante!

Em muitos casos, usuários de drogas se envolvem em crimes tais como narcotráfico e homicídios, tornam-se vítimas de violência, além de estarem sujeitos a outros perigos, como DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) e gravidez indesejável. 


A OMS (Organização Mundial da Saúde) apontou que as principais razões básicas que atraem os jovens às drogas são:
  • Sentirem-se adultos;
  • Serem populares;
  • Para relaxarem e sentirem-se bem;
  • Desejo de correr riscos;
  • Por curiosidade.
É necessário que detalhes a respeito desse problema sejam expostos claramente, para os alunos se conscientizarem dos grandes malefícios do uso de drogas.

Uma substância é considerada como sendo droga quando ela provoca alguma mudança fisiológica ou comportamental.  O álcool e o tabaco são drogas lícitas porque seu uso é permitido por lei. Já as demais drogas, como o crack, são drogas ilícitas, seu uso não é legalizado. Porém, todo tipo de droga, lícita ou ilícita, é proibido para menores de 18 anos. A Lei n.º 8.069 (13 de julho de 1990) do Estatuto da Criança e do Adolescente proíbe a venda, fornecimento ou entrega à criança ou ao adolescente de produtos cujos componentes possam causar dependência física ou psíquica.

Quando a substância afeta os sentimentos, as atitudes e os pensamentos da pessoa, dizemos que é uma droga psicotrópica, possuindo três propriedades:

1. A pessoa desenvolve tolerância e precisa de doses cada vez maiores;
2. A pessoa fica dependente e tem uma necessidade obsessiva de consumir a droga;
3. Quando a pessoa para de consumir a droga, ocorre uma síndrome de abstinência. 

Assim, o álcool, o tabaco e o crack são drogas psicotrópicas. Veja os efeitos de cada uma no organismo da pessoa, e não se esqueça de que isso não afeta somente a pessoa que está doente, viciada, mas atinge todos os que convivem com ela.
  • Álcool: 
Se for ingerido em excesso, o álcool pode causar falta de coordenação motora, descontrole, sono e pode levar até mesmo ao coma, pois ele é uma droga depressora da parte central do sistema nervoso. Além disso, quando chega ao fígado, o álcool é metabolizado a etanol que é muito mais tóxico do que o próprio álcool, pode provocar câncer e lesão no fígado.

O excesso de álcool também leva à hipoglicemia, que é a queda brusca de glicose no sangue, porque as enzimas usadas na produção de glicose são utilizadas no metabolismo do álcool. Outro resultado do consumo do álcool é a desidratação, porque ele desativa o hormônio antidiurético no cérebro, que é o responsável pela reabsorção da água filtrada pelo rim.
  • Tabaco:
A fumaça do cigarro contém monóxido de carbono, amônia, nitrosaminas, alcatrão e nicotina, substâncias tóxicas ao organismo. Quando a pessoa fuma, ela está absorvendo quase 5 mil substâncias prejudiciais ao organismo.


-Monóxido de carbono (CO): Combina-se com a hemoglobina do sangue impedindo que ela transporte oxigênio, podendo ser fatal se absorvido em grande quantidade;

-Amônia (NH3): A sua adição ao cigarro torna o cigarro mais alcalino e faz com que haja maior liberação de nicotina, levando a maior dependência do cigarro e mais prejuízos à saúde;

-Nitrosaminas: São carcinogênicas;

-Alcatrão: Contém hidrocarbonetos aromáticos policíclicos (HPA’s) que são comprovadamente carcinogênicos, como benzopireno. O alcatrão fica em parte impregnado no pulmão dos fumantes;

-Nicotina: Além da dependência que essa substância causa, ela também atua estimulando a parte central do sistema nervoso e, como consequência, há o aumento da pressão arterial, da frequência dos batimentos cardíacos, da frequência respiratória e da atividade motora, além da redução do apetite.

Ao se tragar o cigarro, a nicotina é imediatamente distribuída pelos tecidos e é absorvida pelo pulmão. Em razão disso, são causados inúmeros prejuízos para o organismo.
  • Crack: Por ser fumada, essa droga vai direto para o pulmão, com uma absorção praticamente instantânea. Seu efeito passa rapidamente, em 5 minutos, e isso aumenta a dependência. A pessoa perde o apetite, emagrece, perde noções de higiene e sente constantemente sentimentos desagradáveis (como depressão intensa, desinteresse geral, cansaço, paranoia, desconfiança, medo e agressividade). Assista o vídeo da campanha contra o crack:


Fonte: Brasil Escola / YouTube
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!