Ultimas

Gordura Trans – Porque é Tão Prejudicial à Saúde?

Os médicos e demais profissionais da saúde há muito tempo alertam para os riscos cardiovasculares do colesterol e da gordura saturada. A tecnologia industrial desenvolveu um produto que para os especialistas tem efeitos ainda mais nocivos: a gordura trans.

Fato é que as gorduras trans estão presentes em diversos alimentos industrializados e são tidas como grandes vilãs da nutrição.

Em alguns países a comercialização de alimentos com gorduras trans já está proibida.

Como surgiu a gordura trans

A gordura trans é um tipo de gordura, formado por processo químico que pode ser:

Natural: quando ocorre no estômago de animais ou Industrial: quando óleos vegetais líquidos são transformados em gorduras sólidas com a adição de hidrogênio.

A denominação trans vem de transverso, o ácido graxo transverso. Ela foi idealizada para transformar os óleos vegetais (líquidos) para um estado semi-sólido, “melhorando” vários aspectos de alguns  alimentos industrializados: a consistência, um sabor mais acentuado, mais crocantes e mais secos. Isso tudo aliado a um maior prazo de validade dos produtos.

Evidentemente não se levou em conta possíveis prejuízos à saúde. O nosso organismo tem dificuldade em digerir e eliminar este tipo de gordura, que fica armazenada no corpo.

Prejuízos para a saúde

Estudos mostram que a gordura trans:
  • Aumenta os níveis de LDL, o colesterol ruim;
  • Diminui os níveis de HDL, o colesterol bom;
  • Interfere nos níveis de triglicérides;
  • Favorece o acúmulo de gordura visceral e
  • Aumento o risco de doenças cardiovasculares.

Alimentos perigosos

Inúmeros alimentos industrializados que consumimos frequentemente contém gordura trans. Alguns deles:

Frituras em geral, sorvetes, bolos, biscoitos, tortas, batatas fritas, pizzas, lanches, produtos de padaria e confeitaria, massa folhada, pipoca para microondas, maionese, sopas industrializadas, pratos congelados, chocolates em barra, bombons, cremes e margarinas.

No caso das margarinas, quanto mais consistente e firme o produto, mais quantidade de gordura trans. Nos casos de refeições e lanches de redes fast-food, salgados fritos e pastéis, provavelmente a fritura será feita com gordura vegetal hidrogenada, com gordura trans.

Os rótulos dos produtos

Por lei, a indústria alimentícia está obrigada a informar na embalagem do produto a quantidade de gordura trans. Vale a pena o esforço de ler aquelas letras miúdas para preservar a sua saúde.

Atenção: se no rótulo estiver indicada a presença de gordura hidrogenada ou parcialmente hidrogenada, óleo vegetal hidrogenado ou parcialmente hidrogenado, certamente o produto contém gordura trans em sua composição. Nos produtos realmente isentos de gordura trans o fabricante faz questão de avisar no rótulo.

O lado bom das gorduras

Evidentemente toda esta história das gorduras tem um lado bom. As gorduras são um dos componentes essenciais na nossa dieta. Entre outras funções:
  • Participam da formação de membranas das células;
  • Fornecem a maior quantidade de energia por unidade de peso (9 Kcal/g);
  • Contém os ácidos graxos essenciais, linoleico e linolênico, que não são produzidos pelo organismo;
  • Participam da síntese de hormônios;
  • Auxiliam na absorção de vitaminas como, A, D, E, K, e
  • O ômega-3, uma gordura polinsaturada parece melhorar a imunidade e também reduz o risco de tromboses.
As gorduras insaturadas são de dois tipos principais, as monoinsaturadas e as polinsaturadas. As monoinsaturadas contribuem para a diminuição do colesterol ruim, sem reduzir o colesterol bom. Estão presentes, por exemplo, nos óleos de oliva, canola e de amendoim, além de abacate, castanhas e amêndoas. As polinsaturadas podem ser encontradas nos óleos de canola e soja e também em alguns tipos de peixes do mar de águas frias, como salmão, bacalhau, sardinha e anchova.

Concluindo

Com todas essas evidências, vale a pena rever a nossa alimentação. Recomenda-se:

Evitar ou reduzir o consumo de manteiga, leite integral, queijos gordurosos e os embutidos tipo salame, salsicha e carne vermelha.

Consumir verduras e frutas, peixes desde que não fritos e usar óleos vegetais como de canola, de soja ou oliva.

A ingestão de gordura trans não deve ultrapassar 1% do valor calórico da dieta. Assim numa dieta de duas mil calorias diárias, a ingestão de gordura trans não deve ultrapassar 2g.

Veja o vídeo para saber mais detalhes sobre a gordura trans: 

Fonte: debemcomavida.mdsinsure.com
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!