Ultimas

Ictiose - A Doença da Escama de Peixe

A ictiose é uma doença de pele genética, também conhecida como Doença da escama de peixe ou Ictiose vulgar, que é caracterizada pelo intenso ressecamento e descamação da pele, especialmente na região do tronco, pernas e pés.

Geralmente, a ictiose é congênita, passando de pais para filhos, no entanto, é possível que a doença surja apenas na idade adulta devido a outros problemas, como sarcoidose, insuficiência renal ou hipotireoidismo, sendo chamada de ictiose adquirida.

A ictiose não tem cura, mas pode ser controlada com o uso de cremes hidratantes e outros cuidados que evitam o ressecamento da pele, como utilizar um sabonete de pH neutro, por exemplo.

Fotos da ictiose

Escamas da ictiose
Pele com ictiose durante o tratamento

Tipos de ictiose

Os principais tipos de ictiose incluem:
  • Ictiose arlequim: é o tipo mais grave de ictiose caracterizado pelo intenso ressecamento que pode esticar a pele e virar os lábios e pálpebras do avesso. Normalmente, os bebês com este tipo de ictiose devem ser internado na UTI logo após o nascimento;
  • Ictiose vulgar: é o tipo mais comum e leve de ictiose que causa o surgimento de pele seca, espessa e com aspeto de escamas até aos 5 anos de idade;
  • Ictiose lamelar: normalmente o bebê nasce com uma camada amarelada que escama ao longo do tempo. Ao longo da vida o paciente apresenta ressecamento na pele semelhante à ictiose vulgar;
  • Ictiose ligada ao cromossomo X: apenas surge nos meninos logo após o nascimento, provocando o surgimento de pele com escamas nas mãos, pés, pescoço, tronco ou bumbum.
Os sintomas de ictiose, geralmente, surgem logo após o nascimento, no entanto, também podem demorar até 5 anos para surgir na criança, especialmente no caso da ictiose vulgar.

Como tratar a ictiose

O tratamento para ictiose deve ser orientado por um dermatologista e, normalmente, é feito com a hidratação e esfoliação da pele através de alguns cuidados, como:
  • Aplicar um creme emoliente na pele, como Bioderma Atoderm ou Noreva Xerodiane Plus, nos 3 primeiros minutos após o banho;
  • Evitar tomar banho com água muito quente, pois seca a pele;
  • Utilizar sabonetes com pH neutro para evitar o ressecamento excessivo da pele;
  • Pentear o cabelo úmido para retirar as escamas do couro cabeludo;
  • Aplicar cremes esfoliantes com Lanolina ou Ácido lático para remover as camadas secas de pele.
Além disso, nos casos mais graves, o dermatologista pode recomendar o uso de cremes antibióticos ou remédio com vitamina A para reduzir o risco de infecções na pele e evitar o surgimento de escamas.

Ramesh, um menino nascido no Nepal teve essa doença em um grau elevadíssimo. Tudo parecia normal e seus pais estavam felicíssimos. Mas dentro de 15 dias, sua mãe, Nat Kumari, notou que a pele dele estava começando a descamar, e cascas grossas estavam se formando por todo o seu corpo. Ela e o marido levaram Ramesh a vários hospitais diferentes, mas os médicos nunca haviam visto nada do tipo e não puderam dar um diagnóstico.
A família finalmente encontrou um médico que pôde explicar a eles o que estava acontecendo. Ramesh sofre de uma doença muito rara chamada ictiose, que faz com que a pele se forme sete vezes mais rápido do que o normal. Isso leva a descamação severa e cascas que lembram escamas. Quando as camadas de casca se multiplicam, a pele começa a ter o aspecto e a textura de pedra. Essa doença é incurável, apesar de ter tratamentos que podem aliviar os sintomas. Infelizmente, esses tratamentos são caros, e com uma renda mensal de apenas 7 mil Rúpias Nepalesas (aproximadamente 220 reais), a família não tinha como pagar por eles.
Fonte: tuasaude.com / naoacredito.com.br 
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!