Ultimas

Bronquiectasias - Brônquios Lesados e Dilatados

Bronquiectasias são dilatações (alargamento), geralmente, irreversíveis dos brônquios ou bronquíolos. 

Para entender melhor, observe a ilustração. Os brônquios são dois tubos ocos que fazem a ligação entre a traqueia e o pulmão, por onde entra e sai o ar dos pulmões. Cada brônquio penetra em seu respectivo pulmão. A continuação dos brônquios são os bronquíolos (tubos menores) que formam as ramificações denominadas árvore brônquica. São eles que penetram nos alvéolos pulmonares (final das vias respiratórias) responsáveis pelas trocas gasosas (oxigênio e dióxido de carbono).  Na árvore brônquica normal os “tubinhos” vão se dividindo e afilando até alcançar os pulmões. Quando não acontece esta diminuição de calibre ou o calibre aumenta, caracteriza a  bronquiectasia. As dilatações ocorrem pela destruição dos componentes elásticos e musculares (veja os anéis na ilustração) das paredes dos brônquios e/ou bronquíolos, provocadas por repetidas infecções.

Causas das bronquiectasias


Na maioria das vezes, as bronquiectasias são sequelas de infecções pulmonares. Nas pneumonias, é normal a presença dessas dilatações, entretanto, nesses casos, com o adequado tratamento, as alterações brônquicas desaparecem. Sua perpetuação caracteriza sempre um estado anormal.

Sintomas


As bronquiectasias, por si, só não determinam o aparecimento de sintomas. Entretanto, face às alterações presentes, os mecanismos de drenagem das secreções estão comprometidos, o que propicia o aparecimento de infecções de repetição. Essas infecções são responsáveis pelos sintomas, predominando a tosse com expectoração purulenta abundante;

Consequências



 A consequência predominante é a presença de infecções brônquicas repetitivas. Caso a área comprometida seja extensa e bilateral, o paciente pode desenvolver insuficiência respiratória pela perda da função pulmonar progressiva.

Tratamento


Não há droga com efeito sobre as bronquiectasias. Sendo assim, o tratamento visa curar as infecções, quando presentes. Tenta-se prevenir a recidiva com antibióticos a longo prazo e com vacina contra gripe, pois este quadro viral, muitas vezes, precede a contaminação bacteriana.  Se as bronquiectasias forem localizadas, pode se cogitar uma retirada cirúrgica em que se resseca a região comprometida do pulmão. Como limitações à cirurgia, deve-se referir a presença de lesões extensas e bilaterais.

No vídeo a seguir você conhecerá a doença com mais clareza através de explicação médica:

Fonte: medicinamitoseverdades.com.br
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!