Ultimas

Espondilose Cervical - Degeneração das Vértebras

A espondilose cervical é a degeneração das vértebras do pescoço e dos discos entre elas, exercendo pressão (compressão) sobre a medula espinhal no nível do pescoço.
  • A osteoartrite é a causa mais frequente.
  • Geralmente, os primeiros sintomas são andar instável e cambaleante, bem como dor e perda da flexibilidade no pescoço.
  • A ressonância magnética ou a tomografia computadorizada pode confirmar o diagnóstico.
  • O tratamento inclui um colar ortopédico, medicamentos anti-inflamatórios não esteroide e, às vezes, cirurgia.
A espondilose cervical afeta, geralmente, as pessoas de meia-idade e os idosos. É a causa mais comum da disfunção da medula espinhal entre pessoas com mais de 55 anos.

Conforme as pessoas envelhecem, a osteoartrite se torna mais comum. Faz as vértebras do pescoço se degenerarem. Quando o osso nas vértebras tenta se reparar, cresce demais, produzindo resultados anormais do osso (esporão) e estreitando o canal espinhal no pescoço. (O canal espinhal é a passagem que leva até o centro da espinha e contém a medula espinhal). Os discos entre as vértebras também degeneram, reduzindo o revestimento que antes protegia a medula espinhal. Como resultado, a medula espinhal pode ser comprimida, causando a disfunção. Algumas pessoas nascem com um canal espinhal estreito. Nelas, a compressão por espondilose pode ser mais grave.

Você sabia que...

  • A espondilose cervical é a causa mais comum dos problemas de medula espinhal em pessoas com mais de 55 anos.

Sintomas

Os sintomas podem ser resultantes de uma compressão da medula espinhal, das raízes nervosas espinhais ou de ambas.

Quando a medula espinhal se encontra comprimida, o primeiro sinal costuma ser a alteração da marcha. As pernas movimentam-se em sacudidelas (movimentos espásticos) e a marcha torna-se instável. A sensação pode ser reduzida nos pés e nas mãos. O pescoço pode ficar dolorido e perder um pouco a flexibilidade. Os reflexos podem aumentar, às vezes, causando espasmos musculares, principalmente nas pernas. Tossir, espirrar e outros movimentos do pescoço podem piorar os sintomas. Às vezes, as mãos são mais afetadas que as pernas e os pés. Se for grave, a compressão pode prejudicar a função da bexiga e do intestino.

Se as raízes do nervo espinhal forem comprimidas, o pescoço geralmente é doloroso e a dor, com frequência, se irradia até a cabeça, ombros ou braços. Os músculos em um ou nos dois braços podem ficar fracos e desgastados.

Diagnóstico

 

Os médicos suspeitam de espondilose cervical com base nos sintomas, principalmente em pessoas mais velhas ou que tenham osteoartrite. A ressonância magnética (RM) ou a tomografia computadorizada (TC) podem confirmar o diagnóstico. A RM fornece mais informações, pois exibe a medula espinhal e as raízes. A TC não. Entretanto, esses procedimentos indicam o local em que o canal medular se encontra estenosado, o grau de compressão e quais as raízes dos nervos espinhais que podem estar afetadas.

Tratamento

Sem tratamento, os sintomas de disfunção da medula espinhal devido à espondilose cervical, às vezes, reduz ou continua igual, mas podem piorar.

Inicialmente, em especial, se somente as raízes nervosas forem comprimidas, um colar macio e espasticidade e medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs), como ibuprofeno, podem aliviar. Se não funcionar, a cirurgia pode ser necessária.

Se a medula espinhal for comprimida, geralmente, é preciso realizar a cirurgia. É possível fazer uma incisão pela parte dianteira (fusão cervical anterior) ou traseira do pescoço (laminectomia posterior). A parte afetada da vértebra é removida para dar mais espaço para a medula espinhal. Se houver esporões, eles são removidos e a espinha pode ser estabilizada ao fundir as vértebras. Como regra, a cirurgia não reverte a lesão existente no nervo, mas evita futuras lesões. Quanto mais cedo se fizer a cirurgia, melhor será o resultado.

Como a espinha pode ficar instável depois da cirurgia, as pessoas podem precisar usar um suporte rígido para manter a cabeça parada durante a cura. Se ocorrer espasmos musculares, o relaxante muscular baclofeno ajuda a aliviar.

Confira neste vídeo a entrevista médica sobre a gravidade desta doença:

Fonte: msdmanuals.com 
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!