Ultimas

Panencefalite - Doença Progressiva e Mortal

Panencefalite Esclerosante Subaguda

A panencefalite esclerosante subaguda, um problema progressivo e geralmente mortal, é uma complicação rara do sarampo que aparece meses ou anos depois desta infecção e provoca deterioração mental, movimentos musculares involuntários e convulsões.
 
A panencefalite esclerosante subaguda resulta provavelmente de uma infecção cerebral provocada pelo vírus do sarampo. O vírus pode entrar no cérebro durante a infecção e lá permanecer sem causar problemas durante muito tempo. No entanto, pode ser reativado por razões desconhecidas e provocar panencefalite esclerosante subaguda. Em casos muito raros, uma pessoa que nunca tenha tido sarampo, mas que tenha recebido a vacina com vírus vivos, pode desenvolver panencefalite esclerosante subaguda. 

O número de pessoas com panencefalite esclerosante subaguda está a diminuir nos países desenvolvidos. Afeta mais os homens do que as mulheres. 

Sintomas e diagnóstico

A doença costuma começar nas crianças ou nos adultos jovens, normalmente antes dos 20 anos de idade. Os primeiros sintomas podem ser maus resultados escolares, amnésias, ataques de mau humor, distração, insónia e alucinações. Depois, aparecem convulsões, em forma de súbitos estirões musculares nos braços, na cabeça ou no corpo. Finalmente, estas convulsões podem afetar todo o corpo juntamente com movimentos musculares anormais incontroláveis. O intelecto continua a deteriorar-se e a fala altera-se. Depois, os músculos tornam-se cada vez mais rígidos e é difícil engolir. A pessoa pode ficar cega. Nas fases finais, a temperatura do corpo pode subir e a pressão arterial e o pulso tornam-se anormais. 

O médico faz o diagnóstico baseando-se nos sintomas. O diagnóstico pode ser confirmado por meio de uma análise ao sangue, ao encontrar valores altos de anticorpos contra o vírus do sarampo, ou então por meio de um electroencefalograma anormal (EEG) ou de uma ressonância magnética (RM) ou de uma tomografia axial computadorizada (TAC), que revelem anomalias no cérebro. 

Prognóstico e tratamento

A doença é quase sempre mortal em crianças entre 1 e os 3 anos de idade. Embora a causa de morte seja em geral a pneumonia, esta é consequência da fraqueza extrema e do controlo muscular anormal provocados por esta doença. Nada pode fazer para deter o avanço da doença. No entanto, podem ser administrados anticonvulsionantes para reduzir as convulsões.
Fonte: manuaismsd.pt
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!