Ultimas

Expectativa de Vida Vai Ultrapassar os 90 Anos em 2030

Mulheres sul-coreanas vão ser as primeiras no mundo a alcançar essa marca - e os EUA terão o menor índice entre os países desenvolvidos.

Em 2030, a expectativa de vida vai atingir o índice mais alto da história, quebrando a barreira dos 90 anos. É o que diz uma pesquisa realizada pelo Imperial College London, em parceria com a Organização Mundial da Saúde, em 35 países emergentes e desenvolvidos – o Brasil não está nessa lista.
O resultado mostrou que os sul-coreanos estão no topo do ranking da longevidade. Pesquisadores preveem que uma menina nascida na Coreia do Sul em 2030 pode viver 90,8 anos. Já um menino chegaria a 84,1 anos. 

“A Coreia do Sul se desenvolveu muito: tem sido um país mais igualitário que beneficia a população com boa educação e nutrição, por exemplo”, explicou a pesquisadora Majid Ezzati à BBC. Segundo ela, os sul-coreanos também avançaram muito na medicina, no combate à hipertensão e ao tabagismo, têm uma das taxas mais baixas de obesidade e oferecem bons serviços médicos. 

Entre os países desenvolvidos, os Estados Unidos vão atingir um dos menores índices de expectativa nos próximos 13 anos, com homens e mulheres chegando na casa dos 79,5 e 83,3 anos, respectivamente – números bem semelhantes ao de países de renda média, como a Croácia e o México. Entre os fatores que pesaram nas estatísticas americanas estão as altas taxas de homicídios, de obesidade e de mortalidade materna e infantil.

Já na Europa, as mulheres francesas e os homens suíços viverão mais: 88,6 anos para elas e cerca de 84 anos para eles. 

O Japão, que sempre foi o retrato da longevidade, vai cair algumas posições no ranking e ficará atrás da Coreia e da França, com média de 88,4 anos. 

Os dados também mostram que a lacuna entre homens e mulheres vai diminuir, com o sexo masculino ganhando uns aninhos a mais. “Os homens tinham hábitos menos saudáveis, portanto, menor expectativa de vida. Eles fumavam e bebiam mais, estavam mais suscetíveis a sofrer acidentes de trânsitos e homicídios… No entanto, como o estilo de vida deles se torna cada vez mais parecido com o das mulheres, o mesmo acontece com a longevidade”, afirmou Ezzati.
Para os pesquisadores, os resultados representam grandes desafios para a política mundial. Os governos já devem  começar a pensar em como fortalecer os sistemas de saúde e de assistência social para acompanhar as múltiplas necessidades que acompanham o envelhecimento.
Fonte: super.abril.com.br
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!