Ultimas

Doenças Psicossomáticas - Distúrbios Físicos de Fundo Emocional

Hoje em dia, às vezes ouvimos falar de alguém que foi ao médico e ouviu dele que a sua doença era de fundo emocional ou que o que o paciente estava sentindo era um sintoma nervoso, de estresse, ansiedade. Todas estas causas (fundo emocional, nervoso, etc) significam o mesmo: a origem do sintoma não é orgânica, não está no físico, no corpo. É, portanto, uma doença psicossomática.

Definição de psicossomática

A palavra psicossomática é de origem grega. É uma junção de duas palavras gregas: psique (psico – alma) e soma (corpo). E, deste modo, uma doença psicossomática é aquela que não é exclusivamente somática, corporal, mas tem origem na psique, na alma. Evidente que é difícil dizer com clareza o que é a psique. Porém, a ideia é simples: a psique inclui tudo o que não conseguimos localizar no corpo de uma maneira específica: nossas emoções, sentimentos, pensamentos. Mesmo com as descobertas da neurociência, ainda há muitas questões a serem esclarecidas quanto à localização no cérebro.

Por exemplo, você acordar certa manhã e começa a sentir dores de cabeça e dores no corpo. Você vai até um médico e ele constata que o que você está sentindo foi causado por um vírus, o vírus da dengue. Neste caso, os sintomas são explicados por um agente físico, um vírus.

Agora, se em outro momento da sua vida você vai até o médico e reclama de dores de cabeça e, depois de muitos exames e testes, ele chega à conclusão de que não há nada errado no seu corpo, ele pode então dizer que a dor de cabeça é uma doença psicossomática. Como disse, talvez não seja esta a palavra utilizada, talvez o doutor use o estresse, a ansiedade ou as emoções como causas.

Mas as palavras utilizadas são indiferentes. O que se deve distinguir é entre uma causa que é física e uma causa que não é física. Ou melhor, até o momento ainda é complicado de localizar no sistema nervoso, por isso, usamos o termo que ficou consagrado na história (psique ou alma).

O sentido das doenças psicossomáticas

Se formos sinceros conosco, em nosso mundo interno, veremos que em muitas circunstâncias podemos ter tido doenças psicossomáticas. Uma dor de cabeça, uma tosse, intestino preso ou solto demais, azia, entre outros. Contudo, será que podemos encontrar um sentido neste tipo de manifestação? Ou seja, será que cada doença psicossomática tem um significado?

Por exemplo, alguns autores argumentam que dores de cabeça (sem origem física) são resultado de um comportamento excessivamente autocrítico ou perfeccionista.

Então, teríamos:
– dores de cabeça psicossomáticas = autocrítica, perfeccionismo

A ideia é interessante e poderíamos ir listando outros sentidos:
– intestino preso = problemas mal resolvidos
– tosse e alergias respiratórias = irritação com algo no ambiente. E assim por diante. 

Este tipo de quadro de significados das doenças emocionais é interessante porque seria uma saída para a cura. Se eu estou sentindo dor de cabeça, avalio se estou me criticando. Se é verdade que estou me criticando, tento parar de me criticar para que a dor de cabeça cesse. Se eu estou com o intestino preso, é porque tenho que resolver um problema. Se resolver o problema, o intestino volta a funcionar normalmente. Ou seja, teríamos a elucidação da causa psíquica e teríamos então um “remédio” para que a causa fosse eliminada e o sintoma curado.

A questão é que, desde a psicanálise, ficou comprovado que estes sentidos gerais são muito gerais. Em outras palavras, o sentido, o significado será individual. Pode talvez ser verdade que dores de cabeça tem relação com autocrítica, porém, ainda que seja verdade na maioria dos casos, não será verdade na totalidade deles. E, assim, alguns casos ficarão excluídos da possibilidade de cura.

De fato, se a doença é uma doença da alma, da psique, o tratamento a ser buscado não é com o médico, pois o médico não encontrará nada a ser tratado no corpo. O caminho é procurar fazer uma terapia da psique: psicoterapia com um profissional da psicologia.

Observação: em muitos casos é recomendável realmente fazer um check-up para ver se não se trata de um problema orgânico.

Com a psicoterapia, a pessoa terá à sua disposição um profissional que saberá conduzir na elucidação do significado individual, particular, único do sintoma.

Por exemplo, como disse, pode ser verdade que uma alergia é sinal de uma irritação (emocional) com um estímulo ambiental. Mas para uma pessoa, o que irrita é o vizinho, enquanto para outra o que irrita é o seu companheiro…

Na psicoterapia, portanto, será possível descobrir melhor e mais a fundo as causas do sintoma e, mais importante, encontrar formas de solucionar o sintoma, o sinto-mal.

No vídeo a seguir você vai aprender na entrevista tudo aquilo que você gostaria de saber sobre as doenças psicossomáticas:

Fonte: psicologiamsn.com
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!