Ultimas

Hipertricose - Doença Autossômica Que Causa Excessivo Crescimento de Pelos

Também conhecida por “Síndrome do Lobisomem” e “Síndrome de Ambras”, a hipertricose é uma doença autossômica, em que normalmente o pai ou a mãe do paciente também tem a doença. Esta mutação genética tem como característica o crescimento excessivo de pelos, além se ser extremamente rara (1 para dez milhões). Os pacientes que apresentam esta anomalia tem a pele toda coberta por pelos, com exceção das regiões das mucosas, palmas das mãos e planta dos pés. Ainda não se tem muitas informações acerca desta doença.

Qual profissional devo procurar?

O dermatologista. Também é possível identificar a presença excessiva dos pelos logo após o nascimento: o pelo, chamado de lanugo, é formado durante a gestação, cobre todo o corpo do feto e, após o nascimento, a maioria dos bebês não o apresenta mais, apesar de alguns o manterem nas primeiras semanas de vida. O especialista que identificará isso será o obstetra.

Deve ser feita a exclusão diagnóstica com o crescimento dos pelos induzido por androgênio (hormônio esteroide).

Quais são os sintomas?

Os pacientes com esta anomalia, devido à sua aparência, podem desenvolver problemas psicológicos e sociais. Também podem ter outras doenças como qualquer pessoa, bem como sua expectativa de vida.

Complicações

Devido à quantidade de pelos não serem substituídos e só aumentar, a Hipertricose associa-se a outras doenças congênitas, como problemas dentários.

Os indivíduos com a Hipertricose podem ter depressão, devido a sociedade ainda estranhar a aparência destas pessoas. Assim, estes indivíduos se isolam, sentindo-se discriminados e até maltratados (violência física ou psicológica).

Quais os tipos?

Existem dois tipos desta doença:

Hipertricose Lanuginosa Congênita - Quando o cabelo é relativamente fino e felpudo. Pode chegar a 25cm de comprimento.

Síndrome de Abras: Outra variação do tipo congênita, quando o cabelo é mais grosso, colorido e cresce durante toda a vida.

Hipertricose adquirida - Provocada por anorexia nervosa ou problemas metabólicos, como por exemplo a porfiria cutânea, que comumente surge apenas no rosto e no indivíduo adulto.

Quais são as causas?

Por ser uma mutação genética, os indivíduos adquirem a hipertricose devido à herança genética, característica que a faz ser comum em algumas famílias, podendo haver mais de um doente. Ainda especula-se que há 50% de chances do indivíduo ter outra pessoa com a hipertricose na família. Contudo, esta anomalia nem sempre ocorre por genética, mas espontaneamente, que é ainda mais raro.
A doença não está relacionada a problemas sérios de saúde e a localização genética da mutação, assim como ela ocorre são desconhecidas.

A Hipertricose tem cura? Qual é o tratamento?

Não. O tratamento ainda é pouco eficaz por ser uma doença pouco conhecida, basicamente é feito para retirar o pelo excessivo e é limitado. São eles:

Cera: Remove os pelos da raiz, o que permite que o crescimento dos pelos seja mais lento. Porém, é mais doloroso e não pode ser feito no rosto.

Depilação a laser comum: Deixa os pelos mais finos e eliminam quase que definitivamente os pelos.

Laser Q-switched Nd:YAG:

O mesmo usado em remoção de tatuagens, e responderam relativamente bem ao processo. Neste, os pacientes tiveram uma redução de 40% a 80% da quantidade de pelos.

Uso de barbeadores: O menos eficaz e não satisfatório, pois os pelos voltam mais rapidamente a crescerem. O tipo de tratamento será muito variável, pois vai depender do tipo de pelo do indivíduo, da quantidade de crescimento, idade do paciente e preferência do mesmo pelo método.

Como prevenir? É transmissível?

Não há prevenção nem é transmissível, é uma anomalia de herança genética. Suas causas ainda são desconhecidas.

Grupo de risco

Indivíduos que tenham familiares com a hipertricose; herança genética. A maioria das pessoas com a hipertricose tornaram-se “famosas” ao longo da história. Por causa da sua aparência, muitas foram trabalhar em circos e na televisão. Um dos casos mais famosos é o de Pedro Gonçalvez, sua família o colocava para visitação no castelo de Ambras. As pessoas com hipertricose são vítimas da sociedade, que as impedem de ter uma vida normal. Compartilhe e divulgue estas informações para que mais pessoas conheçam a doença!

Fontes: derm.com.br / brasilescola.uol.com.br / abc.med.br / consultaremedios.com.br
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!