Ultimas

Mitos e Verdades Sobre o Clareamento Artificial dos Dentes

Entenda como funciona esse processo que pode deixar os seus dentes com aparência mais bonita e saudável.
Os procedimentos estáticos para deixar os seus dentes mais brancos e com aparência saudável estão na moda. As técnicas de clareamento dental estão cada vez mais acessíveis, de forma que hoje praticamente não há motivos para que você não as adote caso seja recomendado pelo seu dentista.
Apesar da popularização dos procedimentos, ainda há muita confusão e falta de informação por parte dos pacientes. Isso acontece devido a uma série de mitos ou características que podem até acontecer, mas que estão longe de ser rotina na maioria dos casos. Em outras palavras, consequências isoladas não devem ser avaliadas como regras.
Em linhas gerais, quando são utilizados produtos odontológicos de boa qualidade e há orientação de um profissional, dificilmente há alguma chance de as coisas darem errado. Além disso, esse é um tratamento que muitas vezes é coberto pelos planos odontológicos de forma que não há motivos para deixar os seus dentes com aspecto envelhecido se há a oportunidade de clareá-los, não é mesmo?
Nesse artigo, listamos uma série de indagações que estão entre as mais comuns dos pacientes que procuram um consultório odontológico. Mito ou verdade, você descobre agora tudo o que você precisa saber sobre clareamento dental.
1 – Clareamento dental enfraquece os dentes?
Não é verdade! A ciência médica enumera diversos artigos em pesquisadores evidenciam que não ocorre o enfraquecimento do esmalte e da dentina após as sessões de clareamento. Assim, erroneamente se atribui essa possibilidade ao método. Desde que a técnica se tornou efetiva junto ao público, por volta dos anos 80, houve evolução nos produtos odontológicos usados, de forma que não há risco algum.
A técnica do clareamento com moldeira e gel é apontada como segura e incapaz de influenciar no enfraquecimento dos dentes. Portanto, se você ainda tem algum temor com relação a isso, pode ficar absolutamente tranquilo.
2 – Qualquer pessoa pode fazer clareamento dental?
Sim, pode! O processo de clareamento dental existe para que dentes saudáveis possam ser clareados e ganhem uma melhor aparência. Dessa forma, por conta dos equipamentos odontológicos utilizados nesse processo, não há nenhum tipo de restrição para que os pacientes possam se beneficiar desta técnica.

Os produtos odontológicos utilizados nesse processo, como os géis clareadores, não exercem nenhum efeito sobre as resinas ou porcelanas. Entretanto, há um alerta: existe uma recomendação para que gestantes não façam o procedimento. Além disso, pacientes identificados com doenças gengivais, cáries ou outras patologias bucais também devem evitar o clareamento dental.
3 – É possível fazer clareamento dental sem ir ao dentista?
É possível, mas não é recomendado! Como acontece em qualquer circunstância envolvendo a saúde, seguir a orientação de um profissional de odontologia durante um tratamento é sempre o melhor caminho para se obter resultados mais eficazes. Dessa forma, o dentista poderá acompanhar todas as etapas do processo, do começo ao fim.
Produtos odontológicos vendidos em farmácias, por exemplo, não têm a mesma efetividade daqueles usados em consultórios por profissionais, podendo provocar até mesmo efeitos secundários indesejados. Em alguns casos, os resultados podem ser decepcionantes. Portanto, siga a orientação do seu dentista para maior conforto.
4 – Qual a melhor técnica para clareamento dental?
Em linhas gerais, há duas técnicas de clareamento dental amplamente utilizadas, mas podemos considerar que elas são complementares. Não é usando apenas uma ou outra que você terá os melhores resultados, mas sim combinando ambas. Esse, inclusive, é dos fatores pelos quais muitas pessoas acabam não vendo bons resultados ao tentarem fazer o procedimento sem orientação.
A primeira parte do processo deve ser feita no consultório. Recomenda-se três sessões de 60 minutos, utilizando-se de géis clareadores à base de peróxido de hidrogênio para manchas genéticas. Esses géis podem ou não ser ativados por laser ou LED. Já a segunda parte do tratamento pode ser concluída em casa, com o uso da moldeira. Nela o paciente coloca um gel clareador à base de peróxido de carbamida, durante um período de 14 dias.
5 – Alguns alimentos e bebidas devem ser restringidos durante o tratamento
Sim, é verdade. Para que você possa obter melhores resultados, é importante seguir à risca as orientações do seu dentista. Entre elas, em geral é possível verificar algumas relativas a hábitos de saúde e alimentação. Fumar, por exemplo, pode deixar os seus dentes amarelados, dificultando o processo de clareamento.
Além disso, recomenda-se ainda não tomar café, vinho, suco de uva, chás escuros e refrigerantes à base de cola (como Coca-Cola ou Pepsi), pois eles têm maiores chances de manchar os seus dentes. Alimentos com pigmentos fortes, como açaí, molho de tomate e beterraba também podem resultar no mesmo problema, portanto devem ser evitados nesse período.
6 – O clareamento dental faz com que os dentes fiquem mais sensíveis
Sim, é verdade, mas esse efeito não dura muito! Durante o tratamento, lá pelo quarto ou quinto dia é possível que seus dentes fiquem um pouco mais sensíveis, especialmente quando em contato com líquidos frios. Entretanto, são raros os casos em que há dor e essa sensibilidade acima da média costuma desaparecer com o passar do tempo.
Para que nenhum problema aconteça, é se suma importância que o seu dentista utilize apenas produtos odontológicos de boa procedência, produzidos por fabricantes consagrados no mercado. Géis com acidez muito alta (pH baixo) podem clarear pouco e deixar os dentes mais sensíveis do que o necessário.
 Fonte: Q2Tec


Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!