Ultimas

7 Coisas Que a NASA Descobriu Viajando Até a Lua

A ida do homem até a lua sempre foi alvo de grandes dúvidas e polêmicas, e ainda não deixou de ser.

Muitos tentam provar que não passa de um mito, mas evidências provam que aconteceu de fato e sem dúvidas, foi um marco em nossa história e a porta de entrada para um universo inteiro de descobertas. Desde então, cientistas do mundo todo despertaram ainda mais o desejo de ir em busca do desconhecido no que tange a lua e o espaço de forma geral.

A NASA é a principal responsável pelas missões espaciais que são executadas. Seja por meio de observação ou do treinamento e envio de astronautas para algum tipo de exploração. Desde a primeira ida do homem à lua, muita coisa já foi descoberta e é por isso que resolvemos listar algumas delas para vocês. Ficou curioso? Confere aí!

1 – Prováveis evidências de vida em lua de Júpiter

Há quase um ano atrás, cientistas da NASA encontraram algumas evidências que podem ser um forte indício de que haja vida fora de nosso planeta, mais especificamente, em uma lua de Júpiter, que tem o nome de Europa. Com a ajuda do telescópio Hubble, foram capazes de enxergar vapor de água, que se transformava em chuva que caía sobre a superfície. O mais curioso é que no lugar existe uma quantidade muito grande de água, sendo aproximadamente 2 vezes mais que os oceanos de nosso planeta, o que faz dessa lua uma candidata a abrigar vida fora de nosso planeta.

2 – A gravidade na lua se diferencia

Ao contrário do que muitos pensam, a gravidade na lua não é homogênea, isso porque constantemente ela é alvo de colisões de meteoros, cometas ou asteroides, o que acaba influenciando bastante nessa questão. As naves espaciais são altamente afetadas por essa inconstância da órbita lunar.

3 – Minerais da lua possuem água em sua composição

Foram encontradas provas de que existe água em minerais da superfície da lua. Bom, a água do lugar foi chamada de magmática e já havia sido encontrada em amostras colhidas por astronautas da própria missão Apollo, mas não era da superfície. Com a ajuda de um instrumento, a NASA recolheu o material e enviou para análise de cientistas, que descobriram a verdade.

4 – Essa água pode ter a mesma origem da água da Terra

Será que isso seria mesmo possível? Acontece que a NASA financiou um estudo que pôde comprovar que a água de nosso planeta e da lua possuem a mesma origem, que vem do Cinturião de Asteroides, que é uma região do sistema solar que fica perto das órbitas de Júpiter e de Marte, formada por inúmeros asteroides.

5 – Uma “quase lua” orbitando nosso planeta

Recentemente, astrônomos da NASA descobriam um satélite que parece ser muito ligado a nós. Eles o chamaram de “quase lua” devido ao seu comportamento, mas afirmaram que ele é muito pequeno e está muito longe para ser considerado como lua de fato, mas vive em conflito com a gravidade da Terra e do Sol, até porque, quanto maior o corpo, sua força gravitacional sobre os demais também é maior. De acordo com os cientistas, ele vive dando voltas ao redor de nosso planeta..

6 – Edificações na Lua

De acordo com ex-funcionários da NASA, a verdadeira intenção da Missão Apollo era investigar o que de tão estranho aparecia em fotos registradas por sondas não tripuladas. Segundo Juan José Benitez, se pareciam muito com edifícios em ruínas que certamente, não foram construídos por humanos.

A verdade é que desde o término da missão, muitos funcionários da empresa começaram a relatar a descoberta de algo grandioso, mas assim como dizem, a NASA preferiu não confirmar nada e omitir quaisquer informações da imprensa. Será mesmo?

7 – Minerais alienígenas nas crateras lunares

Após estudos e análises, cientistas foram capazes de constatar que alguns minerais encontrados no centro das crateras da lua podem realmente ser alienígenas, o que quer dizer que não são de origem da lua, mas sim de meteoros ou asteroides que colidiram em algum momento.

De acordo com o estudo divulgado pela Universidade Purdue, em Lafayette, EUA, acreditavam que depois de uma colisão, os detritos e restos de asteroides acabavam vaporizando ou se fundindo à lua, mas descobriram que um projétil é capaz de sobreviver em superfície lunar, caso seu impacto tenha sido vertical e em velocidade menor que 12 quilômetros por segundo.

Segundo os investigadores, partes do asteroide ou meteorito que colidem com a lua entram em colapso e se fragmentam em detritos, que permanecem nas bordas da cratera provocada, ou são arrastadas para o centro de acordo com a força gravitacional do local.
Fontes: g1.globo.com / revistagalileu.globo.com / epochtimes.com.br / fatosdesconhecidos.com.br
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!