Ultimas

Aprenda Como Evitar Bolhas e Calos nos Pés

Os pés requerem cuidados especiais diários e ainda uma adoção de medidas para prevenção de calos e bolhas, que são responsáveis por alterações no caminhar e provocando muitas dores e infecções.

De acordo com Suely Rodrigues Thuler, Enfermeira Estomaterapeuta que faz parte da Sobest (Associação Brasileira de Estomaterapia), a pele apresenta 2 camadas que são: a epiderme (camada externa) e a derme (camada interna), que são separadas por uma estrutura chamada camada basal. Abaixo da derme encontra-se a hipoderme ou subcutâneo. O atrito sobre a pele ocasiona a separação da derme da epiderme e extravasamento de líquido das células que dá origem a uma bolha.

A especialista ainda afirma que quando o atrito se torna constante, a camada basal produz mais queratina deixando a pele mais espessa naquele local, como uma forma de proteção. “A continuidade do atrito aliado a pressão torna a pele cada vez mais espessa podendo formar uma calosidade no local. Em pés insensíveis, como pode ocorrer em pessoas com diabetes, por exemplo, os calos podem evoluir para úlceras, desencadeando problemas que podem levar à amputação”, explica.

Como tratar as bolhas

  • Não romper a bolha;
  • O ideal é não usar calçados que peguem no local até sarar;
  • Caso seja de extrema necessidade, esvazie o conteúdo com uma agulha esterilizada (agulha para injeção);
  • Nunca remova a pele da bolha, pois ela age como proteção natural;
  • Proteja com curativos adesivos como os compostos por hidrocoloides e silicones.

Como prevenir problemas com os pés:

  • Utilizar calçados que acomodem bem os pés;
  • Utilizar calçados adequados para praticar caminhada e exercícios;
  • Comprar os sapatos no tamanho adequado, ajustados aos pés [nem apertados (pressão), nem folgados (atrito)];
  • Comprar os sapatos no final da tarde, quando os pés têm tendência a estarem mais inchados;
  • Como no Brasil não encontramos sapatos com meio número (exemplo 35 ½), pode ser necessário adquirir um número maior e acrescentar uma palmilha própria (palmilha meio número);
  • Evitar usar meias com costuras grossas por aumentarem a fricção;
  • Utilizar meias de algodão para evitar que os pés fiquem úmidos o que facilita a proliferação de fungos;
  • Manter a pele bem hidratada;
  • Utilizar protetores de silicone nas áreas sujeitas a atrito;
  • Se necessário, utilizar palmilhas de redistribuição de carga, sob orientação profissional.
     Fonte: http://mulhercomsaude.com.br
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!