Ultimas

Pneumonia Asiática - Febre Altíssima Provocada Pelo Coranavirus

Síndrome respiratória aguda grave que apareceu recentemente na Ásia, América do Norte e Europa. No Brasil é chamada de Pneumonia Asiática.

Sintomas da SARS

Em geral, a SARS, se inicia com febre alta ( mais de 38.0 graus centígrados). Outros sintomas podem incluir dor de cabeça, sensação geral de desconforto e dores pelo corpo. Algumas pessoas podem apresentar também sintomas respiratórios leves. Depois de 2 a 7 dias, os pacientes de SARS podem apresentar tosse seca e ter problemas para respirar.

Como se propaga a SARS

A principal forma de propagação da SRAS parece ser o contato próximo entre pessoas. A maioria dos casos de SRAS se verificaram em pessoas que cuidaram ou conviveram com alguém infectado pela doença ou que tiveram contato com material infectado (por exemplo, secreções respiratórias) de uma pessoa que tenha SARS. As formas potenciais de propagação da SARS são tocar a pele de outras pessoas ou objetos contaminados com partículas infectadas e depois tocar os olhos, o nariz ou a boca. Isto pode ocorrer quando alguém infectado com SARS tosse ou espirra gotículas ou partículas infectadas no ar, que caem sobre a própria pessoa, sobre outras pessoas ou em superfícies próximas. É possível também que a SARS possa se propagar pelo ar ou outros meios desconhecidos ate o momento.

Quem esta sujeito a pegar SARS

A maioria dos casos de SARS nos EUA se verificou em pessoas que regressaram aos EUA, depois de terem viajado para outras partes do mundo afetadas pela SARS. Houve poucos casos como resultado de contágio entre pessoas que tiveram contato com familiares e trabalhadores da área da saúde. Atualmente não existe evidência que a SARS esta se propagando na comunidade, nos Estados Unidos.

Possíveis Causas da SARS

Cientistas do Centers for Disease Control and Prevention (CDC) e de outros laboratórios detectaram um coranavirus, até então desconhecido, em pacientes com SARS. O novo coronavirus é a hipótese principal para a causa da SARS. 

Em 23 de maio de 2003 pesquisadores da Universidade de Hong Kong, divulgaram que o vírus da SARS pode ter chegado aos seres humanos pelo consumo da carne de civeta (Viverra civeta), considerado uma iguaria muito apreciada no sul da China.

A civeta é um mamífero pequeno, parecido com um gato, mas pesa em torno de 20 kg. é robusto e de pelo cinza com manchas pretas. Este mamífero vem das regiões quentes do Sudoeste da Ásia, do Sul da Europa e da África. A civeta pertence a família dos viverrídeos, é onívora e consome tanto vegetais e frutas como pequenos vertebrados, alguns invertebrados e carniça. O animal é também criado em cativeiro em várias regiões e é procurado pelas secreções de suas glândulas, que serve para fabricação de perfume e por causa da sua carne "exótica". 



A civeta é protegido por convenções internacionais em especial pela Convenção de Washington sobre espécies ameaçadas. Apesar disso esses animais são vendidos vivos e abatidos no ato da compra. Os animais são preparados em restaurantes e para banquetes.

Pesquisadores da Universidade de Hong Kong anunciaram no final de maio de 2003 que haviam encontrado o coronavirus responsável pela SARS, na carne da civeta. Grupos humanitários de defesa de animais como o Animals Asia Foundation pedem o fechamento imediato do comercio desses animais bem como que seja proibido o consumo de sua carne por razões sanitárias e humanitárias.

Recomendação do Centers for Disease Control and Prevention (CDC)

O CDC divulgou recomendações e orientações para pessoas que possam ser infectadas pela SARS.

  • Para aqueles que planejam viajar para regiões afetadas pela SARS:
    O CDC aconselha que quem está planejando viajar, por razões não essenciais para áreas afetadas pela SARS que considere a possibilidade de adiar a viagem até próximo aviso.
  • Para aqueles que precisam viajar para áreas afetadas pela SARS:
    O CDC recomenda àqueles que precisam viajar para áreas afetadas pela SARS, que devem lavar as mãos freqüentemente para proteger-se da infecção. Além disso aconselha-se também que os viajantes evitem, tanto o quanto possível, entrar em contato com grandes massas de pessoas, a fim de minimizar a possibilidade de infecção. O CDC também recomenda o uso constante de máscaras e outros tipos de equipamentos de proteção pessoal, quando se estiver em áreas públicas.
  • Para pessoas que acreditam estar infectadas pela SARS:
    Pessoas que apresentem os sintomas da SARS (febre maior que 38.0°C] acompanhada de tosse e/ou dificuldade para respirar devem consultar um médico o quanto antes. Para ajudar o médico a fazer o diagnóstico, diga-lhe se viajou para lugares onde se verificou a existência da SARS e/ou se esteve em contato com alguém contaminado pela doença ou com alguém que apresente os sintomas da SARS.
  • Para familiares que estão cuidando de pessoas com SARS:
    O CDC desenvolveu recomendações para pacientes com suspeita de SARS, que pode ser encontrada na página www.cdc.gov/ncidod/sars/ic-espanol.htm

    Estas recomendações básicas devem ser seguidas durante 10 dias depois que os sintomas respiratórios e a febre tenham desaparecido. Durante esse tempo, se solicita aos pacientes com, SARS que limitem suas atividades fora de casa. (não deve ir ao trabalho, escola ou qualquer outro lugar público). 
  • Para trabalhadores da Área de Saúde:
    A transmissão da SARS para os profissionais de saúde parece ter surgido depois do contato próximo com pessoas doentes de SARS, antes que se tivesse posto em prática medidas de controle de infecção. O CDC publicou recomendações sobre o controle de infecções em instituições e instalações ligadas à área de saúde.
Fontes: cdc.gov / areaseg.com
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!