Ultimas

Ozena - Obstrução Nasal Decorrente de Edema

A obstrução nasal, decorrente do edema da mucosa, é um dos sintomas mais frequentes da rinite alérgica e, não raro, pode ser apontada como sintoma único e de intensidade variada. 

A persistência pode ocasionar a respiração bucal que pode causar complicações, dependentes da idade da criança, da intensidade e da duração da obstrução. O alívio da obstrução nasal pelo uso de agentes vasoconstritores pode fazer com que eles sejam usados de modo abusivo, ocasionando o agravamento da obstrução por efeito rebote.

Sinusite paranasal

A mucosa nasal se prolonga para o interior dos seios e das vias aéreas inferiores. Tal fato pode justificar o acometimento dos seios paranasais fato muito comum em pacientes com quadros intensos de rinite alérgica. A obstrução nasal e a congestão da mucosa nasal pode obstruir os forâmens de drenagem dos seio paranais tornando a região propícia para as infecções bacterianas – sinusite bacteriana e suas complicações.

Rinite atrófica

A rinite atrófica, ou ozena, está associada à atrofiada mucosa nasal e cornetos com formação excessiva de crostas e secreção mucopurulenta. Esta condição causa odor extremamente desagradável, o qual pode ser facilmente percebido por outras pessoas, tornando-se uma condição socialmente debilitante.  A rinite atrófica pode ser causada por diversos fatores (hereditário, infecciosos, nutricionais, endócrinos), mas chama atenção o fator medicamentoso (uso abusivo de descongestionante nasais). O tratamento é afastar as possíveis causas e irrigação das narinas com solução salina.

Causas

A rinite alérgica em geral é causada por produtos inalantes, produtos químicos e alimentos. Os inalantes costumam produzir uma resposta alérgica imediata após a exposição, tornando fácil a sua identificação. Os agentes inalantes costumam ser polens, pelos de animais, esporos de fungos e poeiras domésticas (cascas de ácaros e insetos). As alergias alimentares são mais difíceis de diagnosticar. Os sintomas de alergia alimentar fixa,surgem cada vez que o alimento é ingerido, e a alergia alimentar cíclica baseia-se na quantidade e frequência que o alérgeno é consumido.

Como produtos adicionados aos alimentos (aromatizantes, corantes, conservantes, educolantes, etc) são cada vez mais frequentes as alergias alimentares podem ser causadas por estes produtos e não pelo alimento em si.

Sintomas

A rinite alérgica apresenta-se obstrução nasal, prurido nasal, coriza e crises de espirro. Alguns pacientes podem manifestar hiperemia e prurido oculares e lacrimejamento, caracterizando a rinoconjuntivite alérgica. A obstrução nasal, decorrente do edema da mucosa, é um dos sintomas mais frequentes da rinite alérgica e, não raro, pode ser apontada como sintoma único e de intensidade variada. A persistência pode ocasionar a respiração bucal que pode causar complicações, dependentes da idade, da intensidade e da duração da obstrução.

A rinite alérgica pode ser subdividida em sazonal e perene, ou seja ocorrer eventualmente ou se um fato contínuo. Este fato norteia o tratamento adequado.

Fatores de risco

A mucosa nasal apresenta uma riqueza vascular e uma considerável inervação neurovegetativa torna as fossas nasais e as cavidades paranasais predispostas à reação alérgica. As glândulas nasais respondem com hipersecreção, causando a rinorreia, por estímulos do sistema nervoso autônomo que media ambos, o tônus vascular e as secreções. A inervação simpática contrai os vasos, reduzindo as secreções, enquanto o sistema parassimpático produz vasodilatação, aumentando as secreções nasais. Estes fenômenos pode bem ser sentido quando estamos exposto ao clima frio, onde ocorre uma maior produção de muco no sentido de aquecer o ar que entra em nossas narinas e ao mesmo tempo lubrificando-a. Assim, é fácil entender que o excesso de utilização de ar condicionado pode provocar cronicamente lesões na mucosa nasal expondo a pessoa a apresentar rinites alérgicas. Sem considerar o enorme potencial dos sistemas de ar condicionado com manutenção vencida, foco de ácaros e outros produtos animais de alta antigenicidade.
Fonte: medicinageriatrica.com.br



Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!