Ultimas

Tratamento da Depressão - Essa Nova Ferramenta Poderá Ser Revolucionária

A depressão é uma condição debilitante, comum no mundo todo. Sabemos o que pode ajudar as pessoas nesse caso: se tratar com um profissional de saúde mental, como um terapeuta.

No entanto, terapia é uma coisa cara e, muitas vezes, difícil de se fazer. É por isso que várias companhias do Vale do Silício estão procurando novas abordagens para o problema, como aplicativos que imitam o consultório tradicional de psiquiatria e salas de bate-papo onde você pode discutir seus problemas anonimamente online.

O mais novo desses tratamentos baseados em tecnologia é Woebot, um chatbot artificialmente inteligente que usa terapia cognitivo-comportamental (TCC), um dos tratamentos clínicos mais bem pesquisadas para o tratamento da depressão.

Antes de você ignorar completamente essa solução, saiba que ela pode funcionar muito bem.

Woebot

O Woebot foi projetado por Alison Darcy, uma psicóloga clínica da Universidade de Stanford, nos EUA, que testou uma versão da tecnologia em uma pequena amostra de pessoas reais com depressão e ansiedade.

Darcy recrutou 70 estudantes que disseram ter experimentado sintomas de depressão e ansiedade, e os dividiu em dois grupos. Um grupo passou duas semanas conversando com o Woebot; o outro foi direcionado para um e-book do Instituto Nacional de Saúde Mental sobre a depressão.

Ao longo de duas semanas, as pessoas do grupo Woebot relataram não só conversar com o bot quase todos os dias, mas também uma redução significativa em seus sintomas depressivos.

Isso é promissor para um tipo de tratamento cujos resultados foram até agora difíceis de quantificar – não temos muita pesquisa comparando a terapia online com a terapia tradicional. Por exemplo, uma revisão de estudos publicada recentemente na revista World Psychiatry comparou pessoas que receberam TCC online com pessoas que a receberam pessoalmente, chegando a conclusão de que a versão online era tão eficaz quanto.

Como funciona

De acordo com Darcy, a TCC se concentra em discutir coisas que estão acontecendo em sua vida agora, em oposição a coisas que aconteceram com você quando criança, por exemplo.

Como resultado, em vez de conversar com Woebot sobre seu relacionamento com sua mãe, você pode conversar sobre um conflito recente no trabalho ou uma discussão que você teve com um amigo.

Em seguida, o chatbot usa uma metodologia para apontar as áreas em que uma pessoa está se “autosabotando”, o que pode significar que ela vê o meio ambiente em torno dela de forma distorcida e se sente mal por isso.

Por exemplo, se um amigo se esqueceu de seu aniversário, você pode dizer ao Woebot algo como “Ninguém se lembra de mim” ou “Não tenho amigos de verdade”. O Woebot pode responder dizendo que você está tendo um comportamento negativo, se envolvendo em um tipo de pensamento “tudo ou nada”, o que é uma distorção da realidade. Na verdade, você tem amigos e as pessoas se lembram de você; um desses amigos simplesmente esqueceu seu aniversário.

Alternativa

Os pesquisadores afirmam que o Woebot não é um substituto para a terapia tradicional, e sim mais uma ferramenta que pode ser usada para melhorar a saúde mental.

“Eu não penso no Woebot como uma maneira melhor de fazer terapia. Vejo como uma opção alternativa”, explica Darcy. “Nós não fizemos um bom trabalho em dar às pessoas uma série de opções. E quanto aos pacientes que não estão prontos para conversar com outra pessoa?”, complementa.

Os resultados do estudo foram publicados no Journal of Medical Internet Research Mental Health. 
Fonte: businessinsider.com
Postar um comentário
 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!