Ultimas

medicina

biologia

Acompanhe:

10 Alimentos Que Prejudicam o Metabolismo Orgânico

O termo "taxa metabólica" descreve como o corpo processa alimentos usando-o para seus vários propósitos. 

Quando a nossa taxa metabólica aumenta, experimentamos perda de peso, menos fadiga e geralmente desfrutamos de melhor saúde. No entanto, à medida que nossa taxa metabólica diminui, o ganho de peso pode ser um efeito colateral.
 
Muitas vezes isso ocorre porque nós comemos alimentos que afetam negativamente a taxa metabólica em nossos corpos, interrompendo muitos de seus processos, incluindo a manutenção de um peso normal. Os alimentos abaixo podem ser os culpados, e você deve evitá-los se quiser ‘andar na linha’, especialmente se você está tentando perder peso.

1. Maçãs
Você deve ter ficado surpreso com o primeiro item da lista, pois todos sabemos que as maçãs são frutas saudáveis, mas seu efeito negativo sobre a taxa metabólica basal vem do que é adicionado a ela. Neste caso, são antifúngicos que penetram nas maçãs e perturbam a taxa metabólica no corpo após serem digeridas.

Em um estudo publicado em 2012, os pesquisadores descobriram que os medicamentos antifúngicos faziam com que os ratos aumentassem de peso, concluindo que o mesmo problema também poderia ocorrer em seres humanos. Hoje, há muitos pesticidas naturais usados para pulverizar campos, e é recomendado que você compre maçãs e outras frutas e vegetais orgânicos. Caso contrário, lave suas maçãs muito bem, descascando-as, se necessário.

2. Óleo de canola
Os óleos vegetais, especialmente o óleo de canola, contêm altas quantidades de ácidos graxos ômega-6, que são essenciais para o corpo, mas o consumo excessivo pode prejudicar sua taxa metabólica. No passado, as dietas ocidentais tinham sido relativamente equilibradas em termos de quantidades de ácido graxo consumido. Mas, devido ao aumento da demanda por produtos processados, o consumo de ômega-6 aumentou, levando a um metabolismo lento. Além disso, um excesso de ácidos graxos ômega-6 no corpo provoca resistência à insulina, fazendo com que mais carboidratos virem gorduras que se acumulam no corpo, causando obesidade e problemas de saúde.
3. Alimentos que contenham farinha de trigo

Não há nada como um pão quentinho ou uma fatia de bolo pela manhã, mas isso é simplesmente uma maneira nada boa de começar o dia. Esses doces e assados são preparados com farinha de trigo, que é, na verdade, farinha de trigo integral, porém todos os seus componentes essenciais, como a fibra dietética, são removidos devido ao processo de refinamento. O que resta no final é a farinha branca, que tem pouquíssimo valor nutricional e alto índice glicêmico. Isso leva à resistência à insulina e, como o óleo de canola, causa o acúmulo de gorduras no corpo.

4. Laticínios

Muitas pessoas sofrem de intolerância à lactose e nem estão conscientes dos efeitos que este problema tem em seus corpos. A proteína de caseína e o açúcar de lactose presentes em produtos lácteos causam processos inflamatórios no corpo, resultando em "inchaço" e acumulação de fluidos que se parecem com ganho de peso. Essas infecções também causam irregularidades no metabolismo, deixando muitas pessoas frustradas por não poderem perder peso.

Para testar se você é sensível à lactose, substitua o leite por uma alternativa, como leite de amêndoa, por exemplo, e examine o efeito da mudança em seu corpo. Se você passar a se sentir mais confortável e experimentar a perda de peso, a intolerância à lactose pode ser o grande vilão. Para examinar minuciosamente o assunto, recomenda-se consultar um médico para confirmação adicional. 
5. Açúcar
À medida que os anos passam, os pesquisadores estão encontrando cada vez mais fenômenos físicos negativos causados pelo excesso do consumo de açúcar, especialmente o açúcar branco refinado. Tal como acontece com a intolerância à lactose, o consumo de açúcar provoca a formação de processos inflamatórios prejudiciais no corpo que perturbam a taxa metabólica e causam inchaço.

Além disso, o corpo não digere muito bem esses açúcares, e o que sobra é prejudicial, além de um metabolismo defeituoso. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, precisamos consumir entre 25 a 36 gramas de açúcar por dia, mas a maioria de nós come várias vezes mais do que esse valor recomendado. Hoje existem alternativas naturais ao açúcar que podem ser consumidas com diferentes alimentos, e você também pode acalmar o desejo de doces com barras de frutas que fornecem o corpo com fibras, fazendo você se sentir satisfeito.

6. Bebidas dietéticas
Nossa taxa metabólica diminui a cada ano que passa, o que nos faz ganhar peso, mesmo que não alteremos nossas dietas. Nesses casos, muitas pessoas se voltam para bebidas gastronômicas e dietéticas que substituem as bebidas com alto teor de açúcar para eliminar algumas calorias da dieta diária. Apesar da promessa dessas bebidas, seu efeito é completamente contrário ao seu objetivo, que é manter ou perder peso.

De acordo com um estudo publicado na revista científica Nature, o consumo de bebidas dietéticas interrompe o equilíbrio das bactérias no estômago e leva a um salto nos níveis de açúcar no sangue e um risco aumentado de desenvolver diabetes tipo 2. Em vez de substituir bebidas açucaradas por bebidas dietéticas, a água é a melhor alternativa e também preenche o corpo e contribui para uma sensação de saciedade natural, sem que sejam adicionados componentes nocivos.
7. Alimentos congelados com poucas calorias

No mundo de hoje, nem sempre temos tempo suficiente para preparar refeições durante o dia, muitos de nós compram refeições congeladas que podem ser aquecidas e consumidas imediatamente. Além dos conservantes prejudiciais nestas refeições, aqueles que são rotulados como "baixos em calorias" podem prejudicá-lo. Como as bebidas dietéticas, as refeições com baixas calorias são prejudiciais ao metabolismo devido à sua composição e ao menor teor de calorias.

Isso ocorre porque uma vez que nosso corpo não consome a quantidade de alimentos e calorias que ele precisa, ele automaticamente desacelera a taxa metabólica para manter o peso corporal, levando a uma desaceleração ou aumento de peso. Além disso, essas refeições geralmente contêm muito sódio, que causa retenção de líquidos, bem como pouca fibra para que o alimento não seja digerido de forma eficiente e o metabolismo se apague.

8. Alimentos com poucas proteínas

Uma dieta com poucas proteínas não é benéfica para o seu corpo, pois precisamos desses componentes essenciais para que o organismo funcione corretamente. As proteínas são os blocos de construção de nossos corpos e, sem elas, a taxa metabólica, a favor de diferentes sistemas, se concentra na criação de um "reservatório de água de emergência" para ser usado pelo corpo quando necessário. Portanto, é importante consumir cerca de 20-30 gramas de proteína em cada refeição para manter um metabolismo normal, o que não é possível com dietas ricas em proteínas que apenas prejudicam nossos corpos.
9. Álcool


O consumo moderado de álcool é benéfico para o corpo em uma variedade de maneiras surpreendentes, mas, como em muitas outras coisas, o excesso de bebidas alcoólicas é prejudicial ao corpo. O consumo excessivo de álcool prejudica e irrita as paredes do sistema digestivo, interferindo assim na capacidade de absorver nutrientes, vitaminas e minerais. Como resultado, nosso corpo não obtém os componentes vitais que ele precisa dos alimentos diferentes, mas, em vez disso, ele entra em um estado de desequilíbrio a longo prazo que pode prejudicá-lo.

10. Sal marinho

O sal do mar tornou-se um substituto popular para o sal comum e muitos usam para temperar alimentos. Embora este sal único seja um suplemento saudável e um bom substituto para o sal regular, ocasionalmente também pode causar danos. Ao contrário do sal normal, o sal do mar não contém iodo, o que é necessário para a atividade normal da tireoide, que regula, entre outras coisas, a taxa metabólica.


Quando você não consome iodo suficiente porque usa sal marinho, a glândula tireoide está fora de equilíbrio e, portanto, tudo pelo qual ela é responsável. Para evitar isso, você pode substituir o sal comum pelo sal do mar de vez em quando, mas não remova completamente o sal comum da dieta. Caso contrário, você precisará certificar-se de que você consuma este mineral essencial de outras maneiras.
Fonte: tudoporemail.com.br

Inflamação no Canal Dentário é Grave e Pode levar a Morte

Apesar de provocar mau hálito, dores e grande incômodo, cáries e inflamações no canal dentário muitas vezes são encaradas com pouca preocupação e muitas vezes chegam a ser ignoradas. Mas, os problemas podem evoluir para condições graves e levar até à morte.

Dois exemplos ganharam destaque na mídia recentemente e possuem, em comum, complicações relacionadas à saúde bucal. A modelo Renata Banhara chegou a perder movimentos do rosto após uma infecção decorrente de um tratamento de canal no dente.


Já o músico Ricardo Bueno, que atuou na segunda formação do grupo Dominó, faleceu em consequência de sepse (infecção generalizada) e abscesso odontogênico, que é o acúmulo de pus que se forma no interior dos tecidos do corpo.

Os casos servem de alerta para que condições associadas aos cuidados com a saúde bucal não sejam nunca ignoradas. Pouca gente sabe, mas uma periodontite, por exemplo, causada por inflamações na gengiva, pode desencadear problemas cardíacos.

As razões ainda não são claras, mas especula-se que bactérias nocivas da boca entram na corrente sanguínea e chegam aos vasos sanguíneos do coração, causando inflamação e aumentando o risco de coágulos que podem provocar ataques cardíacos.

Pessoas que sofrem de diabetes devem ter cuidados extras, já que são mais propensas a terem a doença periodontal. Isso porque diabéticos são mais suscetíveis a infecções e doenças na gengiva.

Doenças na gengiva e complicações decorrentes de higiene incorreta dos dentes também podem aumentar o risco de contrair infecções respiratórias, como pneumonia, e até comprometer a fertilidade, já que estudos apontam que mulheres que apresentam doença periodontal demoram cerca de dois meses a mais para engravidar do que as que não sofrem de problemas bucais.

Como evitar complicações relacionada à saúde bucal

Além de prestar atenção e não minimizar dores e desconfortos nos dentes e gengivas e realizar visitas regulares ao dentista, fazer a higienização correta é fundamental para evitar doenças e complicações.

Você pode até achar que as recomendações são simples e fáceis de serem seguidas, mas será que sabe mesmo a maneira certa de fazer a higiene bucal? Confira o passo a passo de como escovar os dentes e usar o fio dental corretamente, além de outras importantes dicas que nem todo mundo conhece sobre a limpeza adequada da boca:

1. Para escovar os dentes da maneira correta, faça com a escova movimentos circulares e sem imprimir força. Apenas a passagem da escova é capaz de retirar as placas bacterianas sem agredir a gengiva. O ideal é repetir o processo 3 vezes por dia, 30 minutos depois das principais refeições para não prejudicar o esmalte dos dentes.


2. Evite usar creme dental com alta abrasividade, a não ser que seja recomendado pelo dentista. A ação de produtos do gênero, comum entre os que prometem clareamento, desgasta o esmalte e o revestimento do dente, que são compostos por uma estrutura mineral que não cicatriza e não se regenera.


3. Para escovar os dentes da maneira correta, faça com a escova movimentos circulares e sem imprimir força. Apenas a passagem da escova é capaz de retirar as placas bacterianas sem agredir a gengiva. O ideal é repetir o processo 3 vezes por dia, 30 minutos depois das principais refeições para não prejudicar o esmalte dos dentes.

4. Evite usar creme dental com alta abrasividade, a não ser que seja recomendado pelo dentista. A ação de produtos do gênero, comum entre os que prometem clareamento, desgasta o esmalte e o revestimento do dente, que são compostos por uma estrutura mineral que não cicatriza e não se regenera.


5. Passe o fio dental duas vezes ao dia, já que somente a escovação não é capaz de remover toda a sujeira que fica presa entre os dentes. É essencial sempre usar uma parte limpa para cada novo dente, não transferido a sujeira de um lugar para o outro.

6. O antisséptico bucal pode servir como complemento de menor relevância para a higienização da boca, mas não deve nunca ser encarado como substituto da escovação. A ideia equivocada pode contribuir para o aparecimento do mau hálito e outros problemas dentários, como tártaros e cáries.
Fonte: vix.com

Insônia - Aprenda a Corrigir Esse Problema!

Parece que está ficando cada vez mais difícil ter uma boa noite de sono. Hoje existem inúmeras distrações que contribuem para que tenhamos dificuldades em fechar os olhos.

Supostamente uma boa noite de sono deve ter de 7 a 9 horas, mas muitos brasileiros não atingem essa “meta” todas as noites.

O sono pode proporcionar benefícios incríveis para a saúde , como nos ajudar a perder peso, melhorar nossa memória e até mesmo nos fazer mais felizes.

Então, quando você estiver deitado na cama com um desses nove problemas de sono, isso é o que você deve fazer, segundo a ciência: Usar travesseiros “estrategicamente posicionados” é uma boa maneira de aliviar todos os tipos de dores. Se você acorda com dores no ombro, tente abraçar seu travesseiro quando você for dormir.



Dormir de barriga para cima provavelmente não é a melhor posição se você tiver dor nas costas, embora um travesseiro sob suas pernas possa ajudar. Se você dorme de lado, experimente um travesseiro entre as pernas para aliviar o desconforto.





Se seu travesseiro não envolve sua cabeça, é hora de comprar um novo.




Pode ser difícil evitar o smartphone na cama, mas você deve. A luz azul emitida pela tela pode comprometer seu ciclo REM (o estágio mais profundo do sono).




Evite o calor ou frio. A temperatura do quarto deve ser agradável enquanto você dorme para obter um bom descanso.




Os cientistas chamam de não acordar no mesmo horário de “jet lag social”. Tente configurar o alarme para o mesmo horário sete dias por semana.




Muitos brasileiros tem problemas com refluxo durante o sono. Medicação e dormir do lado esquerdo pode ajudar.




Se você ou seu parceiro ronca, existem intervenções cirúrgicas que podem resolver isso. Se você é um roncador, comece evitando dormir em sua parte traseira.




Os cientistas não sabem ao certo o que causa as cãibras durante o sono, mas provavelmente estão relacionadas à fadiga muscular e danos aos nervos. Alongamento e massagem podem ajudar.





Fonte: businessinsider.com

A calvície Está Com Seus Dias Contados

Socialmente tolerada, mas temida, a alopecia androgenética, vulgarmente conhecida como calvície, uma condição de pele capaz de deixar qualquer um “de cabelo em pé”.

Essa forma mais comum de queda de cabelo surge, geralmente, ao redor dos 20 anos de idade, atingindo, aproximadamente, 50% dos homens até os seus 50 anos de idade.  

Essa forma mais comum de queda de cabelo surge, geralmente, ao redor dos 20 anos de idade, atingindo, aproximadamente, 50% dos homens até os seus 50 anos de idade. Entre as mulheres, cerca de 10% delas são afetadas até os 30 anos de idade, 50%, até os 50 anos e 75%, até os 65 anos. Progressivamente, o cabelo vai se afinando, permitindo que a pele do couro cabeludo fique visível, pode ocasionar perda da autoestima e bem-estar psicológico entre os seus portadores.

O que causa a calvície?

O sobrenome científico da calvície, “androgenética”, representa diretamente os fatores que lhe dão origem: hormônios sexuais e predisposição genética. Sem dúvida alguma, dos hormônios androgênicos, ou seja, que conferem algum tipo de ação masculina no nosso corpo, a testosterona é o mais potente. Ele é também o hormônio que atua de forma decisiva na gênese da calvície: por si, não causa o problema, mas seu derivado metabólico, a diidrotestotesterona (DHT), formado pela atuação da enzima a 5-alfa redutase tipo 2 sobre a testosterona, age nos receptores androgênicos existentes no folículo pilosos, fazendo-o cair.

Na imensa maioria das vezes, esses hormônios estão em quantidade absolutamente normal no corpo. O que causa a queda dos fios é a avidez desses receptores por esses hormônios. Isso é determinado geneticamente.

Por ser uma doença de pele muito frequente e, possivelmente, estigmatizante, os cientistas investem há várias décadas seus esforços na busca da cura e/ou prevenção da calvície. Sem dúvida alguma, além da medida extrema do implante capilar, quando se tem uma perda substancial de fios, com exposição de grande área do couro cabeludo, medicamentos de uso oral e tópico têm sido usados.

De acordo com um recente estudo publicado nessa linha por pesquisadores da Tokyo Medical and Dental University, com o passar dos anos o DNA das células-tronco do folículo piloso se danifica, razão pela qual, a partir dos 55 anos, os folículos pilosos das pessoas são menores. Esse DNA danificado permitiria a destruição do colágeno 17 (também conhecido por Col17a1), importante para a manutenção dessas células. Nesse caso, essas células se transformam em células comuns]da pele, que não têm capacidade de produzir pelo. Logo, tais resultados sugerem que, no futuro tratamentos contra a calvície podem vir da abordagem do Col17a1.

Em um estudo francês, publicado na prestigiada revista Journal of Investigative Dermatology, mostrou que a falta de oxigênio (hipóxia) nessas células parece ser o fator primordial para a manutenção de sua sobrevida. Tal cenário pode ser facilmente detectado pela presença de um elemento, o HIF1, do termo em Inglês “hypoxia-inducible transcription factor 1”. Sem dúvida alguma, a preservação dessa hipóxia, bem como a manutenção das concentrações ótimas de HIF1 também são fundamentais para manter os reservatórios de células-tronco no couro cabeludo.

Os tratamentos

A finasterida, de uso oral, age sobre a 5-alfa redutase tipo 2, diminuindo sua atuação, logo, diminuindo a atuação da DHT nos fios; o minoxidil, de uso tópico, tem mecanismo de ação ainda desconhecido, mas aparentemente atua sobre as células, melhorando o fluxo sanguíneo no fio capilar.

Tanto o minoxidil quanto a finasterida são seguros para uso, estão no mercado há mais de duas décadas. Contudo, efeitos adversos podem advir de seu uso exagerado e, muitas das vezes, o resultado clínico benéfico não é o que seria esperado pelos seus usuários. Além do mais, o minoxidil pode ser usado por pessoas de ambos os sexos, mas, de preferência, entre os homens – há risco de masculinização do feto caso a mulher engravide sob a vigência de seu uso.

Estudos com células-tronco têm mostrado uma esperança para os dermatologistas e os pacientes calvos. As células-tronco são as responsáveis pela produção do fio. Diferentemente daquelas presentes no resto do corpo, elas regeneram-se por ciclos de crescimento e calmaria, respectivamente, fazendo o cabelo crescer e cair. Aparentemente, essas células-tronco vão encolhendo com o passar dos anos, deixando os fios envelhecidos e finos, até que desaparecem de vez.

Enfim, embora ainda longe de termos uma cura imediata para a calvície recentes avanços no campo da ciência têm mostrado que ela poderá vir através das células-tronco, cujos resultados promissores já começaram a surgir. Em alguns anos, com o advento de métodos preventivos e/ou curativos da calvície baseados nessas células, o problema poderá se tornar algo do passado, talvez, representando uma marca evolutiva da espécie humana.
Fonte: veja.abril.com.br

Refluxo - Brasil Cria Novo Tratamento Sem Cirurgia

Um tratamento inédito no Brasil pode tornar-se um aliado para quem quer tratar o refluxo sem cirurgia ou utilizando medicamentos. 

Presente em mais de 40 países, o Sistema Stretta foi utilizado pela primeira vez em setembro na Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) e tem como objetivo fortalecer a musculatura do esôfago, que, quando apresenta frouxidão, permite que o suco gástrico suba do estômago e atinja o órgão, causando incômodo, ardência, dificuldade de deglutição e azia.


Coordenador do serviço de endoscopia da faculdade, o gastrocirurgião Eduardo Grecco explica que os resultados no exterior foram positivos e há um protocolo de estudo para verificar os efeitos do procedimento em pacientes brasileiros. “É um tratamento rápido, feito em uma sessão única de 30 minutos. O paciente acorda bem, recebe orientações para a dieta e vai para casa. Ele vai ser acompanhado por quatro a seis semanas, utilizando a medicação que está habituado e, depois, vai suspender a medicação.”

A cirurgia, segundo ele, resolve 70% dos casos e tem eficácia que varia de cinco a sete anos para 30% dos pacientes que enfrentam o procedimento. Mas há os desconfortos ligados ao processo cirúrgico. “Tem corte, anestesia geral e o paciente fica de uma semana a dez dias com dificuldade para se alimentar. Com o Stretta, ele tem dor e desconforto leves, mas já volta à dieta geral a partir do terceiro dia. Quanto menos invasivo, mais rápida a recuperação, menos riscos de infecção e menos efeitos colaterais.”

Pioneiro

O escriturário Renan Rodrigues Cayres, de 25 anos, foi o primeiro paciente a ser submetido ao Stretta. Ele começou a perceber os sintomas do refluxo aos 15 anos. “Não era todos os dias, mas isso foi me acompanhando durante os últimos dez anos.” Ele se interessou pelo procedimento assim que o conheceu. “Além de não ser um processo cirúrgico, tem o efeito de poder suspender a medicação, que tem efeitos agressivos e é muito cara.”

Eduardo Grecco afirma que o tratamento precisa da colaboração dos pacientes. “Não adianta continuar com os erros alimentares. O método vai melhorar a capacidade do esôfago para o refluxo, mas o paciente não vai ficar livre para sempre. A pessoa pode ter quadros agudos, principalmente se extrapolar em uma festa.”.
Fonte: istoe.com.br

saúde

curiosidades

psicologia

 
Copyright © 2011 - 2014 O Controle da Mente - A Ciência em Ação!